Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Mulheres migrantes que desembarcaram em Faro separadas dos homens

Três mulheres, uma delas grávida, foram transferidas para o centro do SEF no Porto.
Rui Pando Gomes e Tiago Griff 21 de Setembro de 2020 às 08:15
Barco de migrantes traz grávida e menor até ao Algarve
Barco de migrantes traz grávida e menor até ao Algarve
As três mulheres, uma delas grávida, que desembarcaram na Ilha Deserta, em Faro, inseridas num grupo de 28 migrantes ilegais, foram separadas dos 24 homens e do jovem menor até serem todos expulsos do País.

O Tribunal de Faro determinou que os migrantes ficam à guarda do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) "a aguardar os trâmites do processo de afastamento que lhes vier a ser instaurado". Segundo o CM apurou, as três mulheres foram transportadas numa ambulância da Cruz Vermelha Portuguesa e numa viatura do SEF para o centro de acolhimento temporário existente no aeroporto do Porto. O CM sabe que uma das mulheres recusava ser transferida para não ficar separada do namorado, que chegou a ameaçar colocar termo à vida.

Já os 24 migrantes do sexo masculino continuavam esta segunda-feira instalados na Base de Apoio Logístico de Quarteira, mas podem vir a ser transferidos para o quartel do Exército, em Tavira. O menor, de 15 anos, foi acolhido pela Casa Pia, em Lisboa.

No entender de Acácio Pereira, presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF, os migrantes estão a ser acolhidos em espaços improvisados "porque não há espaços condignos e adequados para os receber".

Dois acusaram positivo nos testes de despistagem à Covid-19. O CM sabe que há mais elementos do grupo com sintomas. Esta segunda-feira foram realizados novos testes, cujos resultados deverão ser conhecidos esta segunda-feira.
Faro Ilha Deserta País SEF questões sociais demografia imigração política migrações autoridades locais
Ver comentários