Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira

Obra, em São Teotónio, custou 1,7 milhões de euros e vai servir uma população de 2.100 habitantes.
Joaquim Bernardo 27 de Janeiro de 2020 às 14:37
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira
Nova ETAR resolve problema ambiental em Odemira

Já entrou em funcionamento a nova Estação de Tratamento de Águas Residuais – ETAR e sistema elevatório de São Teotónio, no concelho de Odemira.

Dário Guerreiro, presidente da junta de freguesia de São Teotónio explicou ao CM que "era uma reivindicação antiga da população já que a antiga ETAR não funcionava, uma situação que se arrastou ao longo dos anos, mas que agora está finalmente resolvida".

"Esta obra permite resolver um problema ambiental que tínhamos na freguesia já que os esgotos eram deitados na ribeira de São Teotónio sem o tratamento adequado o que criava um problema de maus cheiros e que afetou ao longo dos anos a fauna e a flora desta ribeira que é um afluente do Rio Mira, mas que agora foi totalmente resolvido" acrescenta o autarca.

Num investimento da empresa Águas Públicas do Alentejo (AgdA), a obra custou 1,7 milhões de euros e foi cofinanciada em 85% por fundos comunitários, através do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

Segundo fonte da empresa, "a nova ETAR permite tratar as águas residuais provenientes de toda a população da vila de São Teotónio, composta por cerca de 2.100 habitantes".

O novo equipamento dispõe ainda de "um sistema de receção e pré-tratamento de lamas provenientes de fossas e outras ETARs da região".

Este investimento vem complementar um outro realizado em São Teotónio, no valor de 162 mil euros, que permitiu "desativar duas fossas sépticas e construir um sistema intercetor para encaminhar todos os esgotos para a ETAR", e que foi cofinanciado em 56% por fundos comunitários, através do Programa Operacional Valorização do Território (POVT).

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)