Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Patroa e companheiro matam funcionária e congelam a cabeça

Arguida assassinou tailandesa e cortou o corpo aos pedaços. Teve a ajuda do companheiro.
Nelson Rodrigues 5 de Outubro de 2019 às 01:30
Natchaya Saranyaphat
Sangam é suspeita do crime
Natchaya Saranyaphat
Sangam é suspeita do crime
Natchaya Saranyaphat
Sangam é suspeita do crime
A tailandesa Natchaya Saranyaphat, de 41 anos, terá sido assassinada entre 28 de dezembro do ano passado e 7 de março deste ano. Foi morta pela patroa - na casa de massagens em que ambas trabalhavam, em Matosinhos - e pelo companheiro desta, um cidadão paquistanês.

O corpo foi cortado aos pedaços e decapitado. Depois, as várias partes do cadáver desmembrado terão sido colocadas num congelador - a acusação do Ministério Pública diz que, pelo menos, a cabeça foi, de facto, congelada.

A autora do crime, Sangam Sawaiprkhon, também tailandesa, de 52 anos, e o companheiro, de 32, foram agora acusados de homicídio e profanação de cadáver. Encontram-se ambos em prisão preventiva.

A cabeça de Natchaya foi colocada num saco de plástico e deixada dentro ou ao lado de um contentor de lixo no areal de uma praia de Leça da Palmeira, local onde acabou por ser encontrada na manhã de 7 de março. Não se sabe para onde foi levado o resto do corpo.

A acusação refere que Sangam era a única sócia do estabelecimento, sendo que a vítima era sua colaboradora. O processo diz ainda que Natchaya tinha celebrado, recentemente, com a patroa um contrato de trabalho como massagista. O crime terá sido cometido por desavenças relativas à entrega de 10 mil euros por parte da vítima para ser sócia da arguida.

Em causa terá estado o facto de Natchaya ter pedido o dinheiro de volta, uma vez que Sangam tardava em cumprir o acordo.
crime lei e justiça Natchaya Saranyaphat Matosinhos Sangam Sawaiprkhon crime lei e justiça
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)