Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Pescador morre e seis sobrevivem em naufrágio

Madrugada de terror num arrastão, a 55 km da costa, ao largo de Ovar. Um pescador morreu e seis sobreviveram.
Paulo Jorge Duarte e Aureliana Gomes 7 de Julho de 2018 às 09:21
Paulo Valente tinha 47 anos
Sobreviventes à chegada ao Porto de Leixões, com socorristas
Um ferido foi ao hospital
Pescadores com apoio psicológico
Embarcação ‘Draco’, onde estavam sete pescadores
Corpo de Paulo Valente foi transportado para o IML
Paulo Valente tinha 47 anos
Sobreviventes à chegada ao Porto de Leixões, com socorristas
Um ferido foi ao hospital
Pescadores com apoio psicológico
Embarcação ‘Draco’, onde estavam sete pescadores
Corpo de Paulo Valente foi transportado para o IML
Paulo Valente tinha 47 anos
Sobreviventes à chegada ao Porto de Leixões, com socorristas
Um ferido foi ao hospital
Pescadores com apoio psicológico
Embarcação ‘Draco’, onde estavam sete pescadores
Corpo de Paulo Valente foi transportado para o IML
José Carvalho, de 22 anos, e Bruno Pereira, de 29, estavam com a missão de vigia quando a água começou a entrar, sem explicação aparente, no arrastão ‘Draco’, a 55 km da costa, ao largo de Ovar. Eram 04h30 e o início de um naufrágio fatal para Paulo Valente, de 47 anos, de Ílhavo. Os outros seis pescadores sobreviveram.

"Acionámos o SOS e começámos a tentar tirar a água. Mas, de repente, o barco afundou-se ainda mais. O pessoal começou todo a saltar", descreveu José Carvalho. Todos, menos um.

"O Paulo entrou em pânico, tentei acalmá-lo e ele ficou ainda mais nervoso. Agarrou-se à borda, dizia que não queria saltar, que não queria morrer. Eu disse-lhe: ‘Ó Paulo, tem calma, que uma pessoa vai sair daqui. Aí, a água começou-nos a dar pelo peito", acrescentou o jovem, que teve de salvar a sua vida: "Ele tinha colete, não percebo porque não veio ao cimo".

Com a ajuda da balsa salva-vidas e resgatados pelo navio mercante ‘Wec Van Gogh’ que circundava por ali, José Braga, José Caravela, José Júlio Baptista, Bruno Pereira, Leonardo Vieira e José Carvalho, dos 22 aos 50 anos, de locais como Matosinhos, Murtosa, Ílhavo e Albergaria, sobreviveram.

Paulo Valente, que acompanharia os outros há pouco tempo, foi retirado, já em paragem cardiorrespiratória, por um héli da Força Aérea. Não resistiu. "Não sei se volto ao mar. É um choque perder assim um companheiro", refere José Carvalho.

PORMENORES
Pescadores abalados
Os seis pescadores chegaram ao Porto de Leixões numa lancha salva-vidas, esta sexta-feira, cerca das 11h30. "Estavam abalados, mas fisicamente bem. Apenas um foi levado ao hospital por precaução", disse o comandante do Porto, Rodrigues Campos.

Resgatados por navio
Os seis homens foram retirados da água por um navio mercante que estava a cerca de duas milhas do arrastão. "Como o navio estava próximo foi solicitado o apoio. Trata-se de uma ajuda estipulada internacionalmente", explicou o comandante.

30 minutos ou menos
José Carvalho diz que esteve na água "meia hora", mas admite que tenha sido menos. Também Bruno Pereira atira só que "foi tudo muito rápido", sem ter explicações para o naufrágio.
Ver comentários