Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia

Rede composta por estrangeiros montou plataforma logística em Albufeira, Faro e Loulé.
João Carlos Rodrigues e Rui Pando Gomes 31 de Julho de 2020 às 01:30
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
Apreensão está ligada a outra, ocorrida na A22
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
Apreensão está ligada a outra, ocorrida na A22
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
PJ caça 17 milhões de euros em haxixe a rede algarvia
Apreensão está ligada a outra, ocorrida na A22
Nove detidos, todos estrangeiros. Mais de 6,7 toneladas de haxixe, ainda em fardos, apreendidas. E cinco viaturas comerciais usadas para transportar a droga desde o Algarve até outros países da Europa, onde o produto era vendido por valores mais elevados. Este foi o resultado da Operação Azimute, que nas últimas semanas mobilizou dezenas de operacionais da Polícia Judiciária e que terminou com o desmantelamento de uma rede internacional que usava o Algarve como plataforma logística para o tráfico.

O grupo ‘importava’ a droga desde o norte de África. Os fardos de haxixe chegavam por via marítima e eram depois distribuídos por armazéns nas zonas de Faro, Loulé e Albufeira. A seguir a droga era colocada em camiões e carrinhas que rumavam ao centro da Europa de forma discreta.


A Polícia Judiciária estava atenta às movimentações da rede e avançou para o terreno esta semana. Primeiro com a deteção de um camião com mais de duas toneladas de haxixe que foi travado na A22, na zona de Monte Gordo. O resto foi apreendido nos armazéns que o grupo usava para esconder e distribuir a droga.

Caso chegassem ao mercado, os 6700 quilos aprendidos poderiam valer mais de 17 milhões de euros – uma estimativa feita por baixo com base nos valores de referência de 2019 da Polícia Judiciária e que dispararam nos últimos meses devido aos constrangimentos causados pela pandemia.

O diretor da PJ do Sul, António Madureira, que liderou a investigação, admite que entre os nove detidos, dos 35 aos 55 anos, estão elementos de topo da organização. Foram detidos no Algarve, mas transferidos para Lisboa uma vez que o processo corre no Departamento Central de Investigação Penal. Deverão ser esta sexta-feira presentes a um dos juízes do Tribunal Central de Instrução Criminal. n

SAIBA MAIS
3232
quilos de haxixe foram apreendidos pela PJ em 2019. Esta operação equivale ao dobro desse valor. Nos últimos cinco anos, apenas em 2017 as apreensões de haxixe ultrapassaram este volume, quando chegaram, no total do ano, às 14,7 toneladas.

Placa giratória
Portugal é usado pelos traficantes como porta de entrada de droga cujo destino são outros países europeus. No caso do haxixe, devido à proximidade com a costa de Marrocos, o Algarve é o ponto de descarga.
Ver comentários