Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

PJ detém suspeitos de assalto a casa que provocou a morte de coronel do Exército em Cascais

Mário Rodrigues de Almeida foi agredido e a mulher fechada na casa de banho do apartamento.
Sérgio A. Vitorino 28 de Setembro de 2020 às 11:54
A carregar o vídeo ...
Mário Rodrigues de Almeida foi agredido e a mulher fechada na casa de banho do apartamento.

A Polícia Judiciária de Lisboa deteve os dois assaltantes responsáveis pela morte do coronel na reforma Mário Pinto Rodrigues de Almeida, de 90 anos, que morreu, ao que tudo indica vítima de ataque cardíaco, durante um roubo violento a sua casa, durante o qual foi agredido e a mulher, a professora aposentada Maria Isabel Mira, de 88 anos, fechada na casa de banho do apartamento em Cascais. Os detidos são ainda suspeitos de dezenas de outros assaltos, muitos deles também com violência e com consequências graves para as vítimas, a casas de idosos na Grande Lisboa. Um terceiro homem foi detido por recetação dos bens roubados. Têm 48, 28 e 27 anos e estão esta segunda-feira a ser presentes ao tribunal de Cascais.

A investigação esteve a cargo das secções de roubos e de homicídios da PJ de Lisboa, que apanharam os suspeitos no sábado pelos crimes de roubo agravado, sequestro, homicídio, recetação e detenção de arma proibida. Têm antecedentes e um já esteve preso no estrangeiro.

Um dos detidos assaltava desde finais de 2019 até ao passado dia 23 deste mês, em Algés, Oeiras, Cascais e Moscavide, esclarece a PJ. Em dois dos roubos teve um coautor – um desses foi o que resultou na morte do coronel.

A PJ apreendeu, entre outros bens, uma elevada quantidade de objetos em ouro, dinheiro, droga e uma arma de fogo ilegal e municiada, que estava dentro do carro de um dos suspeitos – que tinha um binóculo para vigiar as vítimas. Para enganar os idosos, andava sempre com um aspirador novo, com o qual se apresentava à entrada das residências das vítimas para que as mesmas pensassem que era um simples vendedor.

O roubo a casa de Mário Pinto Rodrigues de Almeida, num bairro pacato de Cascais, ocorreu no dia 9 de setembro. O coronel, nascido na Guarda em fevereiro de 1930, terá tentado defender a mulher, após terem aberto a porta aos dois assaltantes julgando tratarem-se de técnicos de uma empresa que contrataram para mudar a fechadura. Maria Isabel, natural de Évora e antiga professora, foi fechada na casa de banho e esteve vários dias internada no Hospital de Cascais. Terão sido levadas joias e dinheiro. Estavam casados há 64 anos.

O crime ocorreu pelas 16h00, a poucos metros do tribunal , da sede da PSP e da Polícia Municipal. Quando os verdadeiros técnicos lá foram já ninguém respondeu. O alerta para as autoridade só chegou pelas 21h00, por um sobrinho do casal (não têm filhos), avisado pela fisioterapeuta de Maria Isabel Mira. Ninguém lhe atendeu à porta, o que não era comum. Foi a PSP e os bombeiros a encontrarem o corpo. O coronel já estava morto, com sinais de agressões a murro e pontapé. Mas os dados da autópsia indicam que terá morrido de ataque cardíaco durante o assalto.

Mário Pinto Rodrigues de Almeida frequentou o Colégio Militar e a Escola do Exército. Tinha 14 louvores e condecorações, na Índia, Angola e outros, com destaque para o grau de comendador da Ordem Militar de Avis e a medalha D. Afonso Henriques.

Ver comentários