Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande julgado por sete mortes

Autarca responde ainda por quatro crimes de ofensas.
Isabel Jordão 22 de Janeiro de 2021 às 08:35
Valdemar Alves, presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, deverá ser julgado sozinho por incêndio de 2017
Valdemar Alves, presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, deverá ser julgado sozinho por incêndio de 2017 FOTO: Ricardo Almeida
O presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, vai mesmo responder em tribunal por 11 das vítimas do incêndio de junho de 2017. Deverá ser julgado sozinho, fora do processo principal que tem dez arguidos, entre eles os autarcas dos concelhos vizinhos.

Neste processo, que resulta de uma certidão extraída do inquérito no qual se investigou o incêndio de 2017, Valdemar Alves está acusado pelo Ministério Público de sete crimes de homicídio por negligência e de quatro crimes de ofensas à integridade física, também por negligência. O autarca pode ainda pedir a abertura da instrução e, se não o fizer, avança para julgamento no Tribunal de Leiria.

O processo original já passou pela fase de instrução e “encontra-se atualmente em fase de julgamento, com audiência inicial designada para o próximo mês de março”, revelou ontem a Procuradoria da República. Os dez arguidos respondem por crimes de homicídio e ofensas à integridade física, ambos por negligência.

Valdemar Alves é ainda arguido no processo da reconstrução das casas que arderam no incêndio e que está já numa fase avançada, com o julgamento a decorrer.

Além do autarca, acusado de 60 crimes de burla qualificada, prevaricação de titular de cargo político e falsificação de documentos, o processo tem mais 27 arguidos, a maioria donos de casas reconstruídas com fundos solidários. Contactado pelo CM, Valdemar Alves, não quis comentar a acusação.
Valdemar Alves crime lei e justiça julgamentos questões sociais tribunal
Ver comentários