Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Prisão preventiva para os três suspeitos de sequestro e roubo agravado na Madeira

Crime teve por base um encontro combinado entre a vítima, um homem de 27 anos, e uma mulher, agora detida, de 32 anos.
Lusa 22 de Agosto de 2020 às 16:58
Tribunal
Tribunal
Dois homens e uma mulher detidos na Madeira por suspeita da prática dos crimes de sequestro e roubo agravado foram este sábado sujeitos a interrogatório judicial e ficaram em prisão preventiva, informou a Comarca da Madeira.

"A Policia Judiciária (PJ) apresentou, para primeiro interrogatório judicial de detido, dois arguidos do sexo masculino, de 21 e 45 anos de idade, e um arguido de sexo feminino, de 32 anos de idade, todos de nacionalidade portuguesa", informa o comunicado.

A mesma nota acrescenta que o interrogatório começou às 11h38 e terminou pelas 14h05, ficando os arguidos indiciados em coautoria de um crime de roubo agravado e outro de sequestro.

"Os arguidos ficaram sujeitos à medida de coação de prisão preventiva", conclui o comunicado.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou este sábado a deteção de três pessoas, dois homens e uma mulher, suspeitos de terem cometido os referidos crimes na madrugada e manhã de quinta-feira, nos concelhos de Machico e Santa Cruz, contíguos a leste do Funchal.

A investigação envolveu também a Polícia de Segurança Pública (PSP) e teve por base um encontro combinado entre a vítima, um homem de 27 anos, e uma mulher, agora detida, de 32 anos.

O ofendido "aceitou ser conduzido no veículo da mulher para um local ermo", onde eram aguardados pelos outros dois suspeitos, os quais, "sob a ameaça de arma branca, obrigaram a vítima a facultar os códigos de acesso à sua conta bancária, apoderando-se de 700 euros, que levantaram numa caixa multibanco".

O comunicado policial acrescenta que depois de realizada esta operação, transportaram a vítima para a residência de um deles, local onde esta foi "novamente ameaçada e agredida, sofrendo vários ferimentos", tendo-lhe sido exigido a entrega de mais dinheiro.

O homem "propôs uma deslocação a uma instituição bancária, com o pretexto de que iria contrair um empréstimo que lhe permitisse satisfazer as exigências dos suspeitos", pode ler-se no mesmo documento.

A vítima aproveitou a ocasião, e no interior da agência bancária "pediu auxílio" e denunciou os agressores que aguardavam no exterior.

A PSP foi chamada ao local, localizou e identificou os três suspeitos, comunicando a situação à PJ que tomou conta da ocorrência "face à natureza dos crimes em causa" e procedeu à investigação e recolha de provas dos factos.

Madeira PJ Comarca da Madeira Polícia Judiciária PSP crime lei e justiça polícia questões sociais
Ver comentários