Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Professor de dança assume que convidou alunos para jantares mas nega abusos sexuais

Assumiu que convidou menores para irem a sua casa para jantares e convívios mas disse que não os atacou.
Nelson Rodrigues 30 de Setembro de 2020 às 08:34
A carregar o vídeo ...
Assumiu que convidou menores para irem a sua casa para jantares e convívios mas disse que não os atacou.
Perante as juízas do Tribunal de S. João Novo, no Porto, o professor de danças de salão assumiu que convidava os menores para irem a sua casa. Disse que fazia pequenos convívios, jantares, festas e até que assistiam juntos a filmes ou vídeos de dança. Porém negou qualquer contacto sexual com as três vítimas - com idades entre os 12 e os 16 anos -, e a quem prometia carreiras de sonho em competições nacionais. O arguido responde por 24 crimes de abuso sexual de menores dependentes.

O professor, de 42 anos, que também era diretor da escola de dança do concelho de Valongo, falou às magistradas durante uma hora e explicou que mantinha apenas a normal relação de afeto entre alunos e docentes. Também várias testemunhas, entre as quais as vítimas, foram ouvidas - mas na ausência do arguido. O julgamento decorre à porta fechada.

O arguido atacou durante 14 anos, mas parte dos crimes, cometidos contra outros menores, entre 2004 e 2007, já prescreveram. Chegou a ser acusado de mais de 550 crimes, mas após a instrução não foi pronunciado e não está a ser julgado por esses factos. No entanto, uma das testemunhas ontem ouvida pelo coletivo foi uma das vítimas cujos crimes já tinham prescrito. As magistradas quiseram apenas perceber se sabia que o professor atacava outros colegas da escola. A testemunha disse nada saber.

As três vítimas só denunciaram os factos quando atingiram a maioridade.
Porto Tribunal de S. João Novo crime lei e justiça julgamentos questões sociais
Ver comentários