Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Professor de Direito agredido à facada

O presidente da Escola de Direito da Universidade do Minho foi ontem esfaqueado por um aluno, revoltado com alegadas situações de prejuízo na avaliação de uma cadeira de curso. O professor associado, Luís Gonçalves, teve de receber assistência hospitalar, sendo suturado devido aos golpes sofridos num braço, no rosto e no tronco.
15 de Junho de 2007 às 00:00
O aluno agressor foi detido pela GNR e vai ser presente hoje ao Tribunal de Braga
O aluno agressor foi detido pela GNR e vai ser presente hoje ao Tribunal de Braga FOTO: Nuno Veiga
Ao que o CM apurou, o estudante de Direito Sérgio Barbosa, com 24 anos, teria premeditado a agressão, perpetrada no interior do gabinete do professor, com quem agendou para ontem uma reunião para discutir o problema de uma cadeira pendente e que estava no centro de um diferendo pela readaptação do curso ao Processo de Bolonha.
O estudante – que sofre de gaguez e estará a ser alvo de acompanhamento psicológico – entrou com uma faca e levava já no telemóvel contactos de órgãos de comunicação para denunciar a situação.
Pouco depois de entrar no gabinete, pelas 12h15, o aluno terá puxado da pequena faca e golpeou Luís Gonçalves em diferentes partes do corpo. Valeu a reacção de funcionários e alunos, que terão ajudado a travar o agressor, detido pela GNR. É acusado de tentativa de homicídio.
O professor foi transportado para o Hospital de S. Marcos e teve alta a meio da tarde. “Perdeu muito sangue e teve de ser suturado, mas o seu estado é estável e não foi atingido nenhum órgão vital”, adiantou fonte hospitalar.
O estudante tinha, porém, um problema com outro professor, Heinrich Hoerster, a quem chegou a pôr um processo por difamação, que o MP terá arquivado. Mas o aluno terá pedido, ainda assim, o debate de instrução. Já o professor Luís Gonçalves é considerado um “homem sem problemas com ninguém, cheio de humor, que não perdeu mesmo depois da agressão”, segundo fonte da escola.
Ver comentários