Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Relâmpago na origem de incêndio que matou bombeiro na Serra da Lousã

José Augusto Dias, de 55 anos, pertencia à corporação de Miranda do Corvo e não resistiu aos ferimentos.
C.M. 25 de Agosto de 2020 às 08:37
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiro
Bombeiros
Bombeiro
Bombeiros

O fogo que deflagrou a 11 de julho na serra da Lousã - no combate ao qual morreu um bombeiro e outros três ficaram feridos - teve origem numa descarga elétrica associada a trovoada, anunciou esta segunda-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

"Foi identificado um registo de uma descarga elétrica atmosférica às 18h20, a 100 metros do local do incêndio, sendo que a margem de erro associada a esta descarga elétrica (na ordem de 200 metros) permite inferir que pode ter espoletado o incêndio", explicou o IPMA, descrevendo ainda o fenómeno que provocou "dificuldade na dispersão de fumos e gases junto ao solo".

José Augusto Dias, de 55 anos, pertencia à corporação de Miranda do Corvo e não resistiu aos ferimentos.

Serra da Lousã IPMA Instituto Português do Mar e da Atmosfera acidentes e desastres desastre (geral)
Ver comentários