Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Rui Pinto tramado por lista negra

Hacker repete esquema nos ataques à PLMJ e acaba apanhado.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 30 de Outubro de 2020 às 10:11
Hacker repete esquema nos ataques à PLMJ e acaba apanhado
Hacker repete esquema nos ataques à PLMJ e acaba apanhado FOTO: CMTV
Rui Pinto repetiu o mesmo método que usou no alegado ataque a um banco nas ilhas Caimão - no qual terá conseguido sacar mais de 300 mil euros de contas, tendo devolvido parte do dinheiro - para aceder aos computadores, servidores e caixas de email da sociedade de advogados PLMJ. Jordão Palma, que em 2018 era analista de segurança na PLMJ, explicou esta quinta-feira, na 19ª sessão do julgamento do hacker, que os endereços de IP supostamente usados pelo arguido na invasão aos sistemas da sociedade seriam os mesmo usados no ataque ao banco, “já referenciados na lista negra” da internet, por já terem sido usados para “atividades ilegais”.

Também as “horas e localizações suspeitas” - de madrugada e com endereços da Hungria, Tailândia, Rússia ou Universidade do Porto, onde Rui Pinto estudou -, que terão sido usadas pelo arguido para esconder o seu rasto, fizeram soar os alarmes. O responsável contou que, antes, desconfiaram do técnico que caiu na ‘armadilha’, alegadamente montada por Rui Pinto, para roubar os acessos.
Rui Pinto ilhas Caimão PLMJ Jordão Palma IP crime lei e justiça polícia
Ver comentários