Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

TAP revê plano de voos e aceita ‘plano B’ do Estado

Conselho de administração esteve esta quarta-feira reunido e debateu um plano alternativo de rotas.
Diana Ramos 27 de Maio de 2020 às 17:39
Avião TAP
Avião TAP FOTO: EPA

A administração da TAP voltou atrás e vai rever o plano de voos anunciado pela companhia aérea para junho e julho, que servia de retoma da companhia aérea, e que quase só contemplava ligações aéreas a partir de Lisboa.

O conselho de administração esteve esta quarta-feira reunido e debateu um plano alternativo de rotas apresentado pelos administradores nomeados pelo Estado na companhia aérea e que  foi trabalhado em conjunto com autarcas das regiões mais penalizadas, com a indústria e com o setor do turismo. Segundo apurou o CM, a proposta alternativa dos gestores públicos acabou por ser acolhida pela restante administração.

O CM sabe que têm existido reuniões para a preparação do documento alternativo para a retoma de voos da companhia aérea, coordenado pelo Governo, com o objetivo que dará já resposta às fragilidades apontadas por políticos, Chefe de Estado, primeiro-ministro, partidos da oposição, autarcas e comunidades intermunicipais. Sobretudo às críticas relativas à falta de oferta de ligações, a curto prazo, para os aeroportos do Porto, Faro.

O plano de retoma apresentado pela companhia na segunda-feira passada determinava que, em junho, apenas três voos semanais fossem realizados entre Lisboa e Porto. Aliás, das 27 ligações semanais em junho e das 247 previstas para julho, a maioria partia de Lisboa.

Esta quarta-feira, o primeiro-ministro reforçou em declarações à Lusa que "não tem credibilidade qualquer plano de rotas definido pela TAP sem a prévia informação sobre a estratégia de reabertura de fronteiras definida pela República Portuguesa". António Costa disse mesmo ver-se "obrigado a recordar à comissão executiva da TAP os deveres legais de gestão prudente e responsável da companhia".

O conselho de administração da TAP emitiu um comunicado em que se pode ler:

"O Conselho de Administração da TAP SGPS, SA afirma que a Companhia está empenhada e vai de imediato colaborar com todos os agentes económicos, nomeadamente associações empresariais e entidades regionais de turismo, para viabilizar o maior número de oportunidades, adicionar e ajustar os planos de rota anunciados para este momento de retoma por forma a procurar ter um serviço ainda melhor e mais próximo a partir de todos os aeroportos nacionais onde a TAP opera, o que, considerando o período difícil que Portugal atravessa, ficará, naturalmente, subordinado aos constrangimentos legais que existam quanto à mobilidade das pessoas e ao transporte aéreo.
O objetivo da TAP é continuar a voar para retomar a sua operação e a servir os seus clientes sempre com o objetivo de assegurar a sua sustentabilidade futura e continuar a projetar Portugal no Mundo."

TAP Lisboa Porto economia negócios e finanças transportes aviação governo (sistema)
Ver comentários