Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

As vítimas do 'pior dia do ano' a nível de incêndios

43 pessoas morreram nos fogos de domingo no Norte e Centro do País e muitas ficaram sem nada. Conheça as histórias.
16 de Outubro de 2017 às 13:02
Fernanda Fernandes, vítima
Raquel e António morreram depois de deixarem os filhos em segurança
João Nascimento morreu no fogo de Tábua
Jorge Pardal morreu no fogo de Vouzela
Sílvio Neves chora morte do irmão, Jaime
Maria Rosa perdeu a vida no incêndio. A nora não a conseguiu salvar
Aurora Amaral diz que foi pedir ajuda. Quando voltou, a sogra estava morta
João Paulo morreu no local
António de Jesus também morreu de moto, em Papízios, Carregal do Sal
Moto de João Paulo Figueiredo Luz ficou desfeita e queimada, em Nelas
Libânio Cardoso tinha 70 anos
Vila Nova de Ventosa
Habitantes analisam estragos em Vila Nova de Ventosa
Fernando Almeida, de 58 anos, morreu a tentar salvar o rebanho
Arlindo Marques, 67 anos, foi encontrado morto na cama
Fausto Lopes, de 60 anos, não resistiu ao fumo intenso
Alfredo Simões morreu junto do irmão José Américo Simões
António Almeida, 71 anos, morreu em Póvoa de Cerdeira
 Os irmãos João, de 29 anos, e Paulo, de 34, perderam a vida a poucos metros um do outro
Pedro Neves, de 45 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Marques da Costa, 63 anos, morreu em Tondela
Ermínio Lopes, de 64 anos, morreu em Tondela
Ramiro, de 76 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Maria Augusto, de 54 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Fernanda Fernandes, vítima
Raquel e António morreram depois de deixarem os filhos em segurança
João Nascimento morreu no fogo de Tábua
Jorge Pardal morreu no fogo de Vouzela
Sílvio Neves chora morte do irmão, Jaime
Maria Rosa perdeu a vida no incêndio. A nora não a conseguiu salvar
Aurora Amaral diz que foi pedir ajuda. Quando voltou, a sogra estava morta
João Paulo morreu no local
António de Jesus também morreu de moto, em Papízios, Carregal do Sal
Moto de João Paulo Figueiredo Luz ficou desfeita e queimada, em Nelas
Libânio Cardoso tinha 70 anos
Vila Nova de Ventosa
Habitantes analisam estragos em Vila Nova de Ventosa
Fernando Almeida, de 58 anos, morreu a tentar salvar o rebanho
Arlindo Marques, 67 anos, foi encontrado morto na cama
Fausto Lopes, de 60 anos, não resistiu ao fumo intenso
Alfredo Simões morreu junto do irmão José Américo Simões
António Almeida, 71 anos, morreu em Póvoa de Cerdeira
 Os irmãos João, de 29 anos, e Paulo, de 34, perderam a vida a poucos metros um do outro
Pedro Neves, de 45 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Marques da Costa, 63 anos, morreu em Tondela
Ermínio Lopes, de 64 anos, morreu em Tondela
Ramiro, de 76 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Maria Augusto, de 54 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Fernanda Fernandes, vítima
Raquel e António morreram depois de deixarem os filhos em segurança
João Nascimento morreu no fogo de Tábua
Jorge Pardal morreu no fogo de Vouzela
Sílvio Neves chora morte do irmão, Jaime
Maria Rosa perdeu a vida no incêndio. A nora não a conseguiu salvar
Aurora Amaral diz que foi pedir ajuda. Quando voltou, a sogra estava morta
João Paulo morreu no local
António de Jesus também morreu de moto, em Papízios, Carregal do Sal
Moto de João Paulo Figueiredo Luz ficou desfeita e queimada, em Nelas
Libânio Cardoso tinha 70 anos
Vila Nova de Ventosa
Habitantes analisam estragos em Vila Nova de Ventosa
Fernando Almeida, de 58 anos, morreu a tentar salvar o rebanho
Arlindo Marques, 67 anos, foi encontrado morto na cama
Fausto Lopes, de 60 anos, não resistiu ao fumo intenso
Alfredo Simões morreu junto do irmão José Américo Simões
António Almeida, 71 anos, morreu em Póvoa de Cerdeira
 Os irmãos João, de 29 anos, e Paulo, de 34, perderam a vida a poucos metros um do outro
Pedro Neves, de 45 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Marques da Costa, 63 anos, morreu em Tondela
Ermínio Lopes, de 64 anos, morreu em Tondela
Ramiro, de 76 anos, morreu em Oliveira do Hospital
Maria Augusto, de 54 anos, morreu em Oliveira do Hospital

Pelo menos 43 pessoas morreram na sequência dos mais de 500 fogos que, este domingo, aterrorizaram o País. Centenas foram afetadas pelos mesmos fogos, perderam familiares, amigos e tudo o que construíram durante toda uma vida.

Conheça as histórias das vítimas marcadas pela tragédia do "pior dia do ano em matéria de incêndios":

Casal morre queimado depois de deixar filhos em segurança



















António Bailão, de 46 anos, e Raquel Bicho, de 30, tinham abandonado a aldeia de Cide, em Seia, com os dois filhos menores mal o fogo se começou a aproximar da localidade no final da tarde de domingo. Mas com o menino de 2 anos e a menina de 8 em segurança no Centro de Dia da vizinha aldeia de Vide, decidiram voltar a casa para tentar recuperar alguns dos bens que tinham deixado para trás. Uma viagem que acabou por lhes custar a vida.

A meio caminho entre as duas aldeias, já de regresso a Vide, numa estrada estreita, o carro conduzido pela mulher despistou-se numa ribanceira e foi apanhado pelas chamas. O corpo de Raquel foi encontrado carbonizado ao volante. António ainda conseguiu sair da viatura e subir a ravina, mas caiu inanimado junto à berma da estrada.

"Ninguém sabe ao certo como aconteceu o acidente. Mas, na altura, aquela encosta já estava tomada pelas chamas e havia muito fumo e vento. É uma tragédia que nos deixa ainda mais angustiados porque, para além de vermos tudo negro à volta da aldeia, temos que lidar com a morte de dois vizinhos e amigos", diz Joaquim Cruz, emocionado.

Encontrada morta depois de entregar filha aos bombeiros
Cristiana, de 40 anos, fugia de carro com o marido Márcio e a filha Leonor. O pai entregou a filha aos bombeiros (80% do corpo queimado, 3 costelas e um braço partido). Cristiana foi encontrada morta horas depois em S. Gião, Oliveira do Hospital.

Morreu ao tentar salvar casa 



















João Nascimento, de 48 anos, morreu em Midões, Tábua, a tentar salvar a casa com o filho.

Morre a tentar salvar rebanho






















Fernando Almeida, 58 anos, invisual, "era muito apegado" ao rebanho de cabras e quando se apercebeu de que estavam em perigo, em Cerdeira, Arganil, tentou salvá-las. "Já não saiu de lá", conta a viúva, Fátima Almeida, que conseguiu salvar dois animais. "Ele ficou para trás e foi apanhado pelo fumo."

Encontrado morto na cama





































No mesmo concelho, o incêndio fez mais duas vítimas mortais. Arlindo Marques, 67 anos, estava a dormir em casa, em Poços, quando foi surpreendido pelas chamas. "O fogo terá entrado pelo quintal e destruiu a casa", conta uma familiar da vítima. Arlindo, pedreiro reformado, foi encontrado morto na cama.

Irmão de deputado morreu asfixiado com fumo














































Em Vinhó, Fausto Lopes, de 60 anos, irmão do deputado da CDU Francisco Lopes – que foi candidato à Presidência da República –, sofria de insuficiência respiratória. Não resistiu ao fumo intenso e à ansiedade provocada pelo avançar das chamas e morreu.

Morrem ao tentar fugir das casas
Almerinda Neves, de 65 anos, estava a fugir de casa em Lagares, Penacova, mas foi surpreendida pelo fogo e morreu na adega. Encarnação Oliveira, 85 anos, saiu de casa com medo e morreu ao cair de uma escada. No concelho morreram ainda dois irmãos. 

Emigrante morre durante férias em Portugal



















Jorge Pardal, de 50 anos, emigrante no Luxemburgo há 30, estava em Queirã desde sexta-feira. Tinha vindo a Portugal fazer a escritura de uma casa e já na madrugada de segunda-feira viu-se cercado pelo fogo. "Ele ligou-nos a dizer que ia fugir de casa e depois nunca mais conseguimos falar com ele", disse o filho da vítima.

Morre a tentar salvar os cães
Álvaro Cal, de 79 anos, tentou salvar os cães que tinha num anexo, mas foi apanhado pelas chamas e acabou por morrer, juntamente com os seus animais. 

"Pensei que íamos morrer ali todos"
Sílvio Neves, de 61 anos perdeu o irmão e um dos melhores amigos no fogo que consumiu Santa Comba Dão durante domingo e segunda-feira: Jaime Ferreira e Manuel Matos, ambos na casa dos 50 anos, não resistiram ao rápido avanço das chamas e acabaram por morrer queimados. "Eu e a minha mulher. Ainda conseguimos colocar os vizinhos e a minha sogra em segurança e depois vim para o meu terreno. A minha mulher até me disse: ‘Se fores, vou contigo e morremos juntos’", conta Sílvio.

Já o irmão de Sílvio, Jaime, não teve tanta sorte. Foi encontrado morto no pinhal à porta de casa.

Motorista na Santa Casa da Misericórdia, era conhecido por ‘Jaimito’. Deixa mulher e filhos. A família chora a sua morte.


Irmãos morrem a tentar salvar abelhas 

José Américo Simões, de 42 anos, e o irmão, de 40, tentavam salvar a apicultura em Vale Maior, Penacova, quando foram surpreendidos pelas chamas e morreram dentro de um armazém. Os dois eram engenheiros e residiam em Coimbra, mas também trabalhavam com o pai na aldeia. 

Perante a aproximação do fogo, foram ajudar a família e morreram. O mais velho deixa uma filha e um filho adolescente. O mais novo era pai de três meninas entre os três meses e os quatro anos.



Chamas destroem casa e proprietário morre soterrado 

Dois irmãos que viviam sozinhos em Vale do Laço, Sertã, foram surpreendidos pelas chamas, que chegaram ao cair da noite de domingo e destruíram tudo à sua passagem. Américo Cardoso, de 65 anos, conseguiu salvar-se, saindo de casa antes do telhado cair, mas o irmão, Libânio Cardoso, de 70 anos, não teve forças, tendo ficado soterrado pelos escombros. 

Ao final do dia de ontem o corpo ainda não tinha sido resgatado, mas a morte está confirmada pelas autoridades oficiais. O incêndio chegou a Vale do Laço vindo da Ponte das Portelinhas e avançou com grande velocidade por várias povoações dos concelhos da Sertã e de Oleiros.










Casal apanhado pelo fogo em Tábua
Em pânico com as chamas de 40 metros de altura que rodeavam a casa, em Quinta da Barroca, Tábua, Hermínia, de 66 anos, e o marido, conhecido por Batista, fugiram de carro mas morreram a 150 metros da residência. Estavam com o filho, de 30 anos, quando o incêndio atingiu a aldeia na tarde de domingo. O filho foi à frente de carro com o cão. Os pais seguiam-no, mas a mãe "quis ir trocar de roupa porque estava de pijama", conta uma vizinha.

Depois ainda percorreram uns metros, mas o veículo foi apanhado pelas chamas. Fugiram a pé mas foram também surpreendidos e ficaram caídos na berma da estrada. Os corpos foram encontrados pelo vizinho Vítor Pinto, que não continha as lágrimas: "Foi horrível. Não imagino o sofrimento. Parecia um barril de pólvora."

Morre ao tentar salvar viatura






















Próximo dali, o primo da vítima, António Almeida, 71 anos, morreu em Póvoa de Cerdeira, ao tentar salvar o carro que tinha deixado numa estrada de terra batida. Ao aperceber-se da aproximação do fogo da viatura tentou retirá-la mas não conseguiu e acabou por morrer queimado. 


O horror das chamas em Vouzela

Quatro pessoas morreram na madrugada de domingo, carbonizadas, numa luta desigual contra o fogo em Ventosa, Vouzela.

Só numa casa morreu Fernando Lourenço, de 70 anos, a mulher Laurinda, de 64, e a irmã do homem, Arminda Lourenço, de 79 anos. Alguns metros à frente na rua, Maria Rosa Jesus, de 93 anos, morreu enquanto tentava fugir.


"O fogo começou a aproximar-se da casa, estava perto do quarto da minha sogra. Eu peguei nela, meti-a no carro e só pensei em fugir. Afinal, meti-me na boca do lobo. Conduzi 800 metros, mas já não via nada. Tirei-a do carro para irmos a pé, mas ela caiu e eu também. Consegui levantar-me e naquele momento só pensei em ir pedir ajuda. Ela ficou lá e eu já não consegui voltar. Quando finalmente regressei. Estava morta", contou ao CM, em lágrimas, Aurora Amaral, nora de Maria Rosa.

O filho de Maria Rosa tinha ficado a proteger a casa e não seguiu no carro. "A minha mãe não merecia morrer assim", disse José Amaral.

Idoso morre sozinho em casa
Abílio Moita, de 81 anos, foi encontrado esta terça-feira morto em casa. O corpo do idoso estava completamente carbonizado e foi encontrado depois dos vizinhos terem dado o alerta de que Abílio ainda não tinha sido visto desde o inínio dos incêndios.

Irmãos morrem juntos quando tentavam ajudar avô de 80 anos






















Os irmãos João, de 29 anos, e Paulo, de 34, perderam a vida a poucos metros um do outro. Quando as chamas começaram a devastar as freguesias de Oliveira do Hospital, João e Paulo só pensaram no avô, de 80 anos, e nos animais que estavam presos e precisavam de ajuda. 

O homem vive numa zona de eucaliptal que ficou devastada pelos incêndios e os netos foram em seu socorro. Não conseguiram atravessar o inferno das chamas e morreram carbonizados, na noite de domingo.

O mais novo, João André Pires Costa, era cortador de moldes e estava casado há apenas três meses. Paulo Pires Costa, camionista, era pai solteiro e deixa dois filhos: um rapaz, de 7 anos, e uma menina, de 10.

Choque frontal mata professora



















A localidade de Talhadas, em Sever do Vouga, chora a morte de uma filha da terra. Fernanda Fernandes, de 50 anos, professora, morreu num acidente na A25, em Vouzela, quando chocou contra um carro em contramão.


Cercados pelas chamas quando seguiam de mota
João Paulo da Luz, 50 anos, e António Lopes de Jesus, 76, morreram na segunda-feira, em Nelas e Carregal do Sal, respetivamente, ao volante de duas motos quando tentavam fugir do fogo.

João vivia em Caldas da Felgueira, Nelas, e aproximou-se da sua casa e da casa do pai, poucos metros ao lado, com mangueiras para tentar afastar as chamas. Depois fugiu de moto mas foi apanhado pelo fogo às portas do cemitério local.

A motorizada ficou destruída, na berma da estrada, e o corpo do condutor carbonizado.



História idêntica e com o mesmo final, no concelho vizinho de Carregal do Sal: em Papízios, António de Jesus saiu de casa ao perceber que as chamas estavam cada vez mais perto de uma das suas propriedades. Foi de moto até ao local mas caiu. 

A mulher, Laurinda, ainda o ouviu gritar mas já nada conseguiu fazer. "Eu segui o som dos gritos mas quando lá cheguei ele estava queimado com um braço no ar. A roda da frente da moto estava também queimada. Fui embora a correr", contou ao CM a mulher da vítima, lavada em lágrimas.







Surpreendida pelas chamas sozinha em casa
Também em Vouzela, Celeste Neves, de 70 anos, não resistiu às chamas que lhe invadiram a casa. O marido tinha saído para ir às compras e Celeste – que tinha pouca mobilidade – ficou na residência.

O fogo chegou e levou-lhe a vida. Morreu carbonizada e a moradia de dois andares, na Quinta da Figueira, da União de Freguesias de Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira, ficou completamente destruída.


Casal de Setúbal encurralado no inferno

Foram encontrados na segunda-feira, em Santa Comba Dão, os corpos carbonizados de Virgílio e Ermelinda, um casal de Setúbal que estava de visita à terra natal. Ao que tudo indica, morreram quando tentavam fugir e se viram encurralados pelas labaredas.









Pedro Neves, de 45 anos, morreu em Nogueira do Cravo

"Nós viemos na direção da morte", diz Odete Ribeiro, mãe de Pedro Neves, de 45 anos, que morreu em Nogueira do Cravo.



















Marques da Costa, 63 anos, morreu em Tondela





















Ermínio Lopes, de 64 anos, morreu em Tondela




























Ramiro, de 76 anos, morreu em Oliveira do Hospital























Maria Augusto, de 54 anos, morreu em Oliveira do Hospital























António Jesus morre no hospital

Homem, de 76 anos, morreu na manhã de quarta-feira no hospital. A vítima estava queimada em cerca de 40% do corpo e era de Cabanas de Viriato.

Também Amélia Antunes, de 47 anos, morreu na A25. António Almeida, de 71 anos, morreu em Arganil. Ermínio Romão, de 78 anos, morreu em Tondela. Maria Oliveira, de 85 anos, morreu em Penacova.

Locais de óbito das vítimas: 

Penacova, Arganil, Coimbra - 6 vítimas mortais;
Arganil, Coimbra - 3 vítimas mortais; 
Oliveira do Hospital, Coimbra - 8 vítimas mortais;
Tábua, Coimbra - 4 vítimas mortais; 
Vouzela, Viseu - 5 vítimas mortais; 
Tondela, Viseu - 3 vítimas mortais;
Santa Comba Dão, Viseu - 5 vítimas mortais;
Nelas, Viseu - 1 vítima mortal; 
Carregal do Sal, Viseu - 2 vítimas mortais;
Oliveira de Frades, Viseu - 1 vítima mortal; 
Seia, Guarda - 2 vítimas mortais; 
Sertã, Castelo Branco - 1 vítima mortal; 
A25 - 2 vítimas mortais; 





incêndio fogo chamas mortos vítimas feridos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)