Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Utentes de hospital de Portimão fazem protesto

Manifestantes querem mais pessoal e melhores condições.
Ana Palma 16 de Fevereiro de 2020 às 10:48
Manifestação realizada ontem reuniu cerca de uma centena de pessoas em frente ao Hospital de Portimão
Manifestação realizada ontem reuniu cerca de uma centena de pessoas em frente ao Hospital de Portimão FOTO: Pedro Noel da Luz
"A saúde é um direito! Sem ela nada feito." Foi com estas palavras de ordem que cerca de uma centena de pessoas se concentraram este sábado à tarde frente ao Hospital de Portimão, em protesto contra as más condições daquela unidade de saúde.

A concentração, promovida pela Comissão de Utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS), é a nona feita junto à referida unidade hospitalar. Os manifestantes exigem "mais médicos, mais enfermeiros e mais auxiliares", bem como "a diminuição dos tempos de espera na Urgência". Isso mesmo foi referido ao CM por João Carlos Correia, da comissão, que defendeu ainda a necessidade de se "defender e valorizar o SNS", uma vez que este se "continua a degradar, em detrimento dos privados". Além disso, frisou, "a população não tem resposta à altura das suas exigências e do que precisa".

Lurdes Melo, também da Comissão, sublinhou haver "um desinvestimento no SNS que é propositado, enquanto crescem os hospitais particulares".

"No Hospital de Portimão não faltam só médicos e enfermeiros, mas também auxiliares e técnicos de diagnóstico. Está-se a transformar a saúde num negócio, mas a saúde é um direito", sustentou. Já Mário Pacheco, utente, disse que foi "muito bem tratado" no hospital mas que este agora "está de rastos".

Este sábado houve outro protesto em Faro, organizado pelo movimento Democracia 21, a reclamar a construção do novo Hospital Central do Algarve, mas com pouca adesão.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)