Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Mês de julho de 2020 foi o mais quente dos últimos 89 anos em Portugal

Valor médio da temperatura máxima do ar atingiu os 33,34ºC, avançou o IPMA.
Lusa 7 de Agosto de 2020 às 18:23
calor xxx
Calor leva portugueses às praias no Litoral Alentejano
Calor
calor xxx
Calor leva portugueses às praias no Litoral Alentejano
Calor
calor xxx
Calor leva portugueses às praias no Litoral Alentejano
Calor
O mês de julho passado foi o mais quente em 89 anos, com o valor médio da temperatura máxima do ar a atingir os 33,34ºC, divulgou esta sexta-feira o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo o boletim mensal do IPMA, julho foi um mês "extremamente quente" em Portugal continental, tendo contribuído para que os sete meses do ano (janeiro a julho) fossem os mais quentes desde 1931, com a temperatura média a atingir os 15,96ºC (+1,51ºC do que o normal).

O relatório destaca que em julho houve três ondas de calor: nos dias de 04 a 13 nas regiões do interior Norte e Centro, de 09 a 18 nas regiões do interior Norte, Centro e Sul e de 25 a 31 no interior Norte.

Considera-se uma onda de calor quando, no intervalo de pelo menos seis dias consecutivos, a temperatura máxima do ar numa determinada estação meteorológica é superior em 5ºC ao valor médio diário da temperatura máxima no período de referência.

De acordo com o IPMA, os valores da temperatura do ar em julho foram quase sempre superiores ao normal, com a máxima a ultrapassar, em média, os 35ºC nos dias 5 a 7, 16 e 17 e a mínima a chegar perto dos 20ºC no dia 17.

No final do mês aumentou a área do território continental em seca, com as regiões do Baixo Alentejo e do Algarve a ficarem sob seca moderada, pontualmente severa.

Comparativamente ao final de junho, houve no fim de julho uma "diminuição significativa" da percentagem de água no solo, com os valores a serem inferiores a 20% nas regiões Nordeste, Vale do Tejo, Baixo Alentejo e Algarve.

A quantidade média de chuva no mês passado correspondeu a 30% do valor normal.

Apesar destes indicadores, a maioria do território de Portugal continental estava em julho em seca fraca (71,4%). No restante, estava em seca moderada (19,9%), normal (8,4%) e severa (0,3%).

O mês passado foi ainda marcado por "condições de instabilidade atmosférica" em alguns locais das regiões Centro e Sul, que geraram aguaceiros fortes, por vezes de granizo e acompanhados de trovoada.

Ver comentários