Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Neve provocada por depressão Dora já começou a cair. Veja as imagens do manto branco

Depressão está associada a uma superfície fria e vai atravessar todo o território durante o dia de sexta-feira.
4 de Dezembro de 2020 às 08:43
Chaves
Nogueira da Montanha, Chaves
Arcos de Valdevez
Ribeira de Pena
Montalegre
Chaves
Nogueira da Montanha, Chaves
Arcos de Valdevez
Ribeira de Pena
Montalegre
Chaves
Nogueira da Montanha, Chaves
Arcos de Valdevez
Ribeira de Pena
Montalegre
Portugal continental está a ser afetado até sábado por vento forte, precipitação, neve, agitação marítima e descida da temperatura associadas à passagem da depressão Dora, informou o IPMA.

A depressão Dora está associada a uma superfície fria e vai atravessar todo o território durante o dia de sexta-feira.

Na região Norte, especificamente em Chaves, perto de Vila Nova de Aguiar, Valpaços, Viseu e Vila Real já começou a cair a neve.













O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, os distritos de Lisboa e Leiria devido à previsão de agitação marítima forte na sequência dos efeitos da depressão Dora em Portugal continental, que traz também precipitação, neve e vento forte.

Estes dois distritos vão estar sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, entre as 12h00 e as 21h00 desta sexta-feira por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas de noroeste com 7 a 8 metros de altura significativa, podendo atingir 14 metros de altura máxima.

O aviso vermelho corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo. Nesta situação, o IPMA recomenda que as pessoas se mantenham ao corrente da evolução das condições meteorológicas e sigam as orientações da proteção civil.

Por causa da agitação marítima forte, o IPMA colocou também a costa dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Setúbal, Beja e Faro, o norte da Madeira e Porto Santo sob aviso laranja até às 00h00 de domingo.

A Autoridade Marítima Nacional (AMN) e a Marinha recomendam, em especial à comunidade piscatória e da náutica de recreio que se encontra no mar, para o eventual regresso ao porto de abrigo mais próximo e a adoção de medidas de precaução.

Recomenda também o reforço da amarração e vigilância apertada das embarcações atracadas e fundeadas, devem evitar-se passeios junto ao mar, de onde se destacam os molhes de proteção dos portos.

Aconselha-se igualmente a que os marítimos mantenham um estado de vigilância permanente e acompanhem a evolução da situação meteorológica.

À população em geral é recomendado que se abstenham da prática de passeios junto à orla costeira e nas praias, bem como da prática de atividades lúdicas nas zonas expostas à agitação marítima.

O mau tempo que se vai fazer sentir no continente pelo menos até sábado surge na sequência da passagem em Portugal continental da depressão Dora, que vai trazer também vento forte, precipitação, neve e descida da temperatura.

O IPMA emitiu também um aviso amarelo para os distritos de Braga, Vila Real, Viana do Castelo, Porto, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco devido à queda de neve acima de 1.400/1.600 metros, descendo gradualmente a cota para 700/900 metros, até às 06h00 de domingo.

Sob aviso amarelo (menos grave) estão ainda os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco devido à previsão de vento forte de noroeste, com rajadas até 95 quilómetros por hora nas terras altas até às 06:00 de sábado.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O mau tempo previsto para Portugal continental levou também a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) a alertar para um agravamento das condições meteorológicas nas próximas 48 horas.

A ANEPC recomenda à população que garanta a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais, que adote uma condução defensiva, face à possibilidade de formação de lençóis de água e gelo nas vias, que evite circular em vias com acumulação de neve e que tenha especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas sujeitas a inundações rápidas.
Portugal Vila Real Dora IPMA Guarda Viseu ANEPC Viana do Castelo Bragança Braga Porto Santo Aveiro
Ver comentários