Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

10 mil utentes sem médico no Barreiro

Milhares formam filas de madrugada para conseguirem consulta.
Bernardo Esteves 17 de Abril de 2016 às 21:45
Comissão de utentes dos serviços públicos está a promover encontros com a população: ontem esteve em Palhais
Comissão de utentes dos serviços públicos está a promover encontros com a população: ontem esteve em Palhais FOTO: Pedro Catarino
Quase 10 mil utentes estão sem médico de família no concelho do Barreiro, com o problema concentrado no Centro de Saúde da Quinta da Lomba, onde há 25 366 utentes inscritos e 9885 sem médico. Milhares de utentes, a maioria idosos, são assim obrigados a formar filas de madrugada à porta deste centro de saúde e da extensão, em Coina, para conseguirem uma consulta.

"Isto acontece por causa do encerramento em 2014 do Centro de Saúde do Alto Seixalinho, na rua do Bocage, que levou ao deslocamento de 14 mil utentes. O diretor do agrupamento de centros de saúde, Paulo Espiga, já reconheceu que foi um erro e o Ministério da Saúde admitiu numa carta que este centro precisa de oito médicos", disse ao CM Antonieta Bodziony, da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Barreiro, que este sábado promoveu um encontro com a população de Palhais, cuja extensão de saúde também fechou, e ouviu diversas queixas. "Há dias fui para a fila às 4 da manhã e estavam 30 pessoas. Às 08h00, o centro abriu e foi-nos dito que quem não tinha médico não ia ser consultado. Foi tudo embora e só eu pedi o livro de reclamações", contou Fátima Afonso, de 64 anos, que esta semana conseguiu marcar consulta para... 24 de agosto.

Os utentes contaram que têm de recorrer ao hospital do Barreiro, onde esperam longas horas.

Segundo a comissão de utentes, a solução passa pela "construção de um novo centro de saúde no Alto do Seixalinho", onde "até já há terreno oferecido pela Câmara do Barreiro".

Ver comentários