Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

2019 foi o segundo ano mais quente de sempre

Vagas de calor sem precedentes na Europa e degelo acelerado no Ártico.
João Saramago 25 de Janeiro de 2020 às 10:10
Paris registou no ano passado temperaturas recorde, superiores a 40 graus
Paris registou no ano passado temperaturas recorde, superiores a 40 graus FOTO: EPA
O ano de 2019 foi o segundo mais quente no planeta, logo a seguir ao ano de 2016, divulgou a Organização Meteorológica Mundial.

A temperatura do ar média global anual para 2019 foi 1.1 °C acima da média no período de 1850-1900. Na Europa - de acordo com Copernicus Climate Change Service - 2019 foi o mais quente alguma vez registado, com uma anomalia de temperatura média do ar de 1.24 °C.

Em Portugal, 2019 foi um ano classificado quente e seco, mas não figura entre os 20 com as temperaturas mais elevadas. Os dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) indicam que 1997 foi o mais quente, em Portugal, e 2017 o segundo mais quente. O IPMA observa que "verifica-se que nos 30 anos mais quentes, 20 ocorreram depois de 1990 e 12 depois de 2000", sendo que "o ano de 2019 é o 26º mais quente desde 1931". A temperatura mais alta, em 2019, ocorreu a 11 de julho em Alvega (Abrantes) com 43.1°C.

Durante o ano de 2019 verificaram-se recordes de temperatura do ar, os quais foram acompanhados por eventos climáticos extremos, como ondas de calor, sem precedentes na Europa. O último ano e a década passada, foram caracterizados pelo aceleramento do degelo no Ártico (semelhante ao verificado em 2007 e 2016) com o consequente aumento recorde no nível médio do mar.
Organização Meteorológica Mundial Europa Portugal IPMA ambiente aquecimento global questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)