Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Quatro mortos e 425 infetados por Covid-19 nas últimas 24 horas em Portugal

Há mais 24 doentes internados, num total de 659, e mais nove pessoas em cuidados intensivos.
Correio da Manhã 28 de Setembro de 2020 às 13:28
Homem usa máscara em estação de metro do Areeiro em Lisboa
Homem usa máscara em estação de metro do Areeiro em Lisboa FOTO: Pedro Simões
Portugal regista esta segunda-feira mais quatro mortes e 425 novos casos de coronavírus. O País contabiliza agora 1957 vítimas mortais e 74.029 casos confirmados desde o início da pandemia.

Em relação a domingo, há mais 24 pessoas internadas (num total de 659), mais nove em cuidados intensivos (para um total de 98).
Nas últimas 24 horas 237 pessoas recuperaram da doença, num total de 47.884 recuperados.

De acordo com o Boletim Epidemiológico diário emitido pela Direção Geral da Saúde (DGS), a Região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) concentra esta segunda-feira 188 dos novos casos, seguindo-se a Região Norte, com mais 168, a Região Centro, com mais 43, o Algarve, com mais 19 e o Alentejo com mais sete. A Região Norte registou três das quatro mortes, sendo que a quarta vítima mortal foi registada na Região LVT.

Os arquipélagos da Madeira e dos Açores não registaram novos casos nem mortes nas últimas 24 horas.

Relativamente aos óbitos, 985 dizem respeito a elementos do sexo masculino e 972 do sexo feminino.

Vacinação contra a gripe arranca esta segunda-feira
Naconferência habitual da Direção Geral da Saúde, o Secretário de Estado Adjunto da Saúde, António Lacerda Sales sublinhou que "estamos todos juntos em prol do sucesso desta campanha vacinal", no dia que marca o arranque da campanha de vacinação da gripe, uma ação que começa este ano mais cedo devido à pandemia da Covid-19.

António Lacerda Sales alertou, contudo, que as oito milhões de doses de vacinas chegarão em tranches. "As pessoas não serão vacinadas todas ao mesmo tempo", acrescentou.

Origem do vírus em Portugal
O Secretário de Estado Adjunto da Saúde afirmou que "a disseminação do vírus em Portugal foi assente numa mutação oriunda de Itália, que gerou centenas de mortes, nomeadamente no norte do País".

João Paulo Gomes, do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (ISNA), avançou que a "variante genética do vírus é proveniente da Lombardia, em Itália, e instalou-se em Portugal a 20 de fevereiro nas regiões norte e centro, nomeadamente em zonas industriais. Essa variante praticamente desapareceu". Os resultados serão divulgados num estudo realizado pelo Instituto.

Surtos em hospitais
A diretora-geral da saúde, Graça Freitas, sublinhou que os surtos atualmente ativos nos hospitais do País são, sobretudo, entre profissionais de saúde.

Relativamente aos surtos em instituições de saúde, os mesmos estão distribuídos da seguinte forma: oito doentes na instituição Senhora dos Azeites, em Guimarães, quatro casos em Paredes, 85 casos numa clínica na Póvoa de Varzim, que regista também um óbito, surtos em Vila Nova da Galé, dez casos no Hospital Sousa Martins, oito no Hospital de Leiria, dois no Hospital Garcia da Orta, 14 casos numa clínica de psiquiatria no Lumiar, na clínica São João de Ávila e no Hospital Egas Moniz.

51 surtos em lares e 12 em escolas

Há atualmente 51 surtos ativos nas estruturas residenciais para idosos: dez na região norte, dois no centro, 33 na região LVT, três no Alentejo e três no Algarve. No que toca às escolas, Graça Freitas avançou que existem atualmente 12 surtos ativos, com cinco casos no norte, um no centro e seis em Lisboa e Vale do Tejo. Neste caso, estão confirmados 78 casos positivos.

Sobre a eventual segunda vaga da pandemia, António Lacerda Sales referiu que a população "tem que preparar o pior e esperar o melhor". Quando questionado sobre o ajuntamento de passageiros verificado no aeroporto de Lisboa, o Secretário de Estado Adjunto da Saúde afirmou que se tratou de uma "situação pontual que não é recomendável do ponto de vista da saúde".
coronavírus covid-19 infetados recuperados mortos
Ver comentários