Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Há mais nove mortos por coronavírus em Portugal nas últimas 24 horas. 98 novos casos

Número de recuperados mantém-se em relação a domingo.
Correio da Manhã 11 de Maio de 2020 às 13:05
Coronavírus
Coronavírus FOTO: Ricardo Almeida
O número de mortos por coronavírus voltou a aumentar em Portugal esta segunda-feira, fixando-se agora nos 1144, mais 9 que ontem. O número de pessoas recuperadas manteve-se em 2549.

O número total de casos confirmados com covid-19 é 27679, mais 98 comparativamente a ontem, que constituiu a taza de crescimento mais baixa desde o início da pandemia: 0,35%. Neste momento, há 2754 pacientes a aguardar resultado laboratorial, menos 102 que este domingo.

805 pessoas internadas (mais 8 que ontem) nos hospitais, ou seja 2.9% dos casos. 112 doentes encontram-se nos cuidados intensivos (o mesmo que no domingo). A recuperar em casa estão 23.181 pessoas.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (651), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (248), do Centro (216), do Algarve (14), dos Açores (14) e do Alentejo, que regista um caso, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24:00 de domingo, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

Segundo os dados da Direção-Geral da Saúde, 587 vítimas mortais são mulheres e 557 são homens.

Das mortes registadas, 769 tinham mais de 80 anos, 228 tinham entre os 70 e os 79 anos, 99 tinham entre os 60 e 69 anos, 36 entre e 50 e 59, 11 entre os 40 e os 49 e um dos doentes tinha entre 20 e 29 anos.

Os dados da DGS precisam que o concelho de Lisboa é o que regista o maior número de casos de infeção pelo novo coronavírus (1.737), seguido por Vila Nova de Gaia (1.455), Porto (1.303), Matosinhos (1.207), Braga (1.152), Gondomar (1.048), Maia (909), Sintra (769) Valongo (737), Guimarães (661), Ovar (626), Coimbra (561) e Loures (507).

Desde o dia 01 de janeiro, registaram-se 276.153 casos suspeitos, dos quais 2.642 aguardam resultado dos testes.

Há 245.832 casos em que o resultado dos testes foi negativo, refere a DGS, adiantando que o número de doentes recuperados está em 2.549 (idêntico ao registado no domingo).

Os Açores registam 135 casos de covid-19 e a Madeira contabiliza 90 casos confirmados, de acordo com o boletim divulgado esta sgeunda-feira.

A DGS regista também 28.307 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Do total de infetados, 16.298 são mulheres e 11.381 homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 50 aos 59 anos (4.673), seguida da faixa dos 40 aos 49 anos (4.649) e das pessoas com mais de 80 anos (4.212 casos).

Há ainda 3.989 doentes com idades entre 30 e 39 anos, 3.334 entre os 20 e os 29 anos, 3.142 entre os 60 e 69 anos e 2.358 com idades entre 70 e 79 anos.

A DGS regista também 473 casos de crianças até aos 9 anos e 849 de jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

Segundo o relatório diário da situação epidemiológica em Portugal, 177 casos resultam da importação do vírus de Espanha, 137 de França e 88 do Reino Unido. Há ainda centenas de casos importados de dezenas de outros países.

De acordo com a DGS, 42% dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse, 30% febre, 21% dores musculares, 20% cefaleia, 15% fraqueza generalizada e 12% dificuldade respiratória. Esta informação refere-se a 89% dos casos confirmados.


Taxa de ocupação dos cuidados intensivos está estável, diz Secretário de Estado da Saúde

"Temos uma taxa de ocupação estável. Neste momento a ocupação é de 53% nas unidades de cuidados intensivos para adultos", afirmou Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária de atualização de informação sobre a covid-19, no Ministério da Saúde.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção Geral da Saúde (DGS), há 112 pessoas nos cuidados intensivos, o que representa em termos percentuais 0,2% do total de 805 pessoas internadas devido à covid-19 (2,9% da totalidade de casos infetados).

Lacerda Sales disse ainda que a taxa de letalidade global é de 4,1%.

A diretora-geral da Saúde, por sua vez, aproveitou a fase inicial da conferência de imprensa para, mais uma vez, apelar aos pais e cuidadores para vacinarem as crianças e assim evitarem outras doenças infecciosas.

Graça Freitas agradeceu aos farmacêuticos que "têm estado ativamente a incentivar a vacinação e a retoma nos moldes em que era feita antes da emergência devido à covid-19" e aos enfermeiros que diariamente continuam a vacinar as crianças.

"Desde o início do mês de maio foram feitos mais testes ao coronavírus do que em todo o mês de março"

Na habitual conferência de imprensa da DGS, o Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, anunciou que, até ao momento, durante o mês de maio, foram realizados mais testes ao coronavírus do que em todo o mês de março. "De 01 a 10 de maio já foram efetuados mais testes do que todo o mês de março, numa média total de 13.100 testes por dia", sublinhou, reforçando que estes indicadores são importantes porque "quanto mais se testa, mais se conhece a realidade do País".

Para Lacerda Sales, uma semana após ter começado o desconfinamento parcial das pessoas "não é tempo ainda de fazer balanços".

"O país está há uma semana em processo de desconfinamento, mas este não é ainda o tempo para balanço, mas para continuar este caminho. Esta não é uma corrida curta e rápida, é uma maratona longa, por vezes com obstáculos, que procuramos vencer sempre com decisões sustentadas na melhor evidência científica em cada momento, equilibrando decisões entre as melhores práticas sanitárias e a viabilidade da sua aplicação", acrescentou o Secretário de Estado da Saúde.

Portugal recebe esta semana mais material de proteção

O Secretário de Estado da Saúde informou que Portugal vai receber mais material de proteção, nomeadamente 2 milhões de máscaras e 1.7 milhões de respiradores FFP2 e FFP3, garantindo a "estabilidade de renovação do 'stock' de equipamentos de proteção contra a covid-19.

"Esta semana deverão chegar dois milhões de máscaras cirúrgicas e 1,7 de respiradores FFP2 e FFP3 entre outros materiais importantes o que garante que uma certa estabilidade de renovação de 'stock' que continua a ser cruciais", disse António Lacerda Sales.

Portugal tem previsto, avançou o governante, que continuem a chegar com regularidade equipamentos de proteção individuais do mercado externo e interno.


Adultos devem contribuir para proteger ambiente das crianças

"Não é possível impor a crianças pequenas regras de comportamento. No entanto, devemos fazer tudo para minimizar as brincadeiras", referiu a diretora-geral da saúde, Graça Freitas, que aconselhou ao desdobramento de turmas de forma a evitar o menor número de crianças num único espaço.

Nas creches, Graça Freitas aconselha a que cada criança tenha o seu próprio colchão, na hora da sesta, e que deixe os sapatos à porta, uma forma de minimizar a possível propagação do coronavírus. 

A DGS aconselha as creches a organizarem-se em função do espaço, de forma a criar circuitos. Nestes casos, os adultos deverão recorrer sempre à máscara.

Pacientes recuperados podem ter partículas de RNA do vírus no organismo

A explicação para o facto de vários pacientes testarem positivo para coronavírus após recuperarem está explicada nas pequenas partículas de RNA que podem sobreviver no organismo. Segundo Graça Freitas, "são apenas partículas de RNA e, portanto, não têm capacidade de se replicar", embora várias pessoas possam continuar a testar positivo para a Covid-19.

Em atualização
Portugal questões sociais coronavírus
Ver comentários