Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Amadeu Lima de Carvalho revela que Rui Verde estava cheio de dívidas

Começou esta manhã a ser ouvido no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, o accionista da extinta Universidade Independente, Amadeu Lima de Carvalho, acusado pelo Ministério Público e que esteve detido durante nove meses no âmbito do caso da Universidade Independente.
4 de Dezembro de 2009 às 13:33
Universidade Independente
Universidade Independente FOTO: D.R.
Amadeu Lima de Carvalho revelou que a fim de saldar dívidas pessoais, Rui Verde, antigo vice-reitor, "vendeu os 22,5% de acções que possuia a Angola, na sequência de um encontro em que esteve presente o ministro da Educação angolano, António Burity da Silva", por dois milhões de euros. Também Amadeu Lima de Carvalho vendeu os seus 35% pelo que os angolanos ficaram com a maioria das acções da Sides, empresa detentora da universidade.
Amadeu Lima de Carvalho disse que Rui Verde "implorou" a Burity da Silva que comprasse a sua parte.
O accionista que reafirmou ser titular de acções da universidade acrescentou que em 2005 quando chegou à universidade arrumou a casa. "Estavam os impostos e os ordenados dos professores por pagar e nesse ano paguei tudo", disse.

Amadeu Lima de Carvalho, cuja queixa contra Rui Verde, em Janeiro de 2006, originou a investigação que levou à acusação de 23 particulares e três empresas, fora já ouvido pelo juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal, a 15 de Outubro, juntamente com Rui Verde.

Na posterior sessão em que Rui Verde, na qualidade de arguido, se remeteu ao silêncio, Lima de Carvalho não esteve presente.

Amadeu Lima de Carvalho está a ser ouvido em sede de instrução do processo. No final da fase de instrução o juiz Carlos Alexandre decidirá se envia ou não os arguidos para julgamento.
A Universidade Independente foi, entretanto, encerrada compulsivamente pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
Ver comentários