Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Anuário CM: Os acontecimentos e os protagonistas que marcaram 2020

O ano da pandemia contou com a vitória de Biden e Miguel Oliveira campeão de Moto GP.
Correio da Manhã 26 de Dezembro de 2020 às 01:30
Cinco mil médicos disponibilizaram-se, logo no início da pandemia, para ajudar o SNS
Miguel Guimarães é bastonário da Ordem dos Médicos
Cinco mil médicos disponibilizaram-se, logo no início da pandemia, para ajudar o SNS
Joe Biden acusou os republicanos de desrespeitarem o povo e a Constituição
Marta Temido na apresentação do plano de vacinação da Covid-19
Miguel Oliveira
Cinco mil médicos disponibilizaram-se, logo no início da pandemia, para ajudar o SNS
Miguel Guimarães é bastonário da Ordem dos Médicos
Cinco mil médicos disponibilizaram-se, logo no início da pandemia, para ajudar o SNS
Joe Biden acusou os republicanos de desrespeitarem o povo e a Constituição
Marta Temido na apresentação do plano de vacinação da Covid-19
Miguel Oliveira
Cinco mil médicos disponibilizaram-se, logo no início da pandemia, para ajudar o SNS
Miguel Guimarães é bastonário da Ordem dos Médicos
Cinco mil médicos disponibilizaram-se, logo no início da pandemia, para ajudar o SNS
Joe Biden acusou os republicanos de desrespeitarem o povo e a Constituição
Marta Temido na apresentação do plano de vacinação da Covid-19
Miguel Oliveira
A Covid-19 já matou em todo o Mundo um milhão e setecentas mil pessoas, mas a pandemia global não expôs apenas as fragilidades sanitárias da Humanidade perante o desconhecido; teve, igualmente, efeitos devastadores sobre as economias que vão perdurar além da crise sanitária. Em Portugal, como no resto do Mundo, o confinamento e a paralisação, mesmo que parcial, da atividade económica, medidas necessárias à prevenção do contágio, puseram as economias em estado de coma. A propagandeada recuperação económica nacional ficou comprometida pelo confinamento que pôs também à prova os nervos da população; muitos perderam logo o seu trabalho, outros ficaram em layoff ou tiveram de se adaptar ao teletrabalho. O ‘milagre português’ revelou ser falso logo depois do verão, mal a segunda vaga empurrou o País, à semelhança de todos os outros, para novos constrangimentos e mais uma prova à resistência do SNS que, para atender aos infetados do vírus, deixou milhares por tratar. Nunca tínhamos vivido desta maneira.

“Temos de estar à frente do vírus”
“Viveu-se a primeira vaga como se fosse a única”, critica o bastonário da Ordem dos Médicos. Na entrevista que abre o anuário de 2020, dedicado aos ‘heróis do povo’, os milhares que, na linha da frente, trabalharam sem medo do seu próprio contágio, para curar os infetados da Covid-19, Miguel Guimarães denuncia a falta de reforço dos meios humanos - “uma cama e um ventilador não trabalham sozinhos” - e diz que o sinal de esperança da vacina não deve desmobilizar os cuidados a ter na prevenção do contágio.

A incógnita Biden - a figura internacional
Donald Trump procurou a vitória na Justiça, depois de serem conhecidos os resultados das eleições norte-americanas que elegeram o antigo ‘vice’ de Barack Obama. Mas, aos 78 anos, Joe Biden está longe de ser a figura carismática e unificadora de que a América precisa. Trump pode até desocupar a Casa Branca, mas não sairá certamente do palco político que lhe permitirá uma nova candidatura. A narrativa de fraude eleitoral, que vai servir para manter acesa a chama entre os apoiantes do antigo presidente, vai contribuir para acentuar a divisão do país mas também do próprio Partido Republicano. O que pode Biden fazer nesta América dividida, que também luta contra a pandemia?

Nem com o exílio saiu de cena
Os escândalos que envolvem o rei emérito assombram Felipe VI. Juan Carlos pode até ter escolhido o exílio nos Emirados Árabes Unidos, mas a popularidade da monarquia continua por, sua causa, ameaçada.

A mulher ao leme do barco europeu
Médica de formação e com sete filhos, a presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula Von der Leyen, ocupa um lugar fulcral numa altura histórica: a unidade entre os países-membros é crucial à recuperação económica da UE. 

Campeão Miguel Oliveira: a alegria de 2020
F oi uma vitória muito celebrada num ano com poucos motivos para celebrar. Miguel Oliveira repetiu em Portimão o lugar mais alto do pódio, que já havia alcançado a 23 de agosto, na Áustria, e terminou o Mundial de MotoGP no nono lugar. O piloto de 25 anos, nascido em Almada, ganhou o Grande Prémio de Portugal de MotoGP, no fecho do Mundial de motociclismo de velocidade, e coroou a sua ainda curta carreira. A prova foi disputada à porta fechada, por causa da pandemia, depois de uma experiência menos feliz com público no Grande Prémio de Portugal de F1 mas, ainda assim, na memória de todos, as imagens da escolta que Miguel Oliveira recebeu por parte de outros motards rumo a Portimão ou da passagem dele, aos comandos da sua KTM, pela ponte 25 de Abril, que cruza o Tejo, em Lisboa. O piloto português terminou em grande a sua segunda época no MotoGP e agora prepara-se para desafios que o podem lançar como um sério candidato ao título mundial. 

O homem no olho do furacão
Resistiu às críticas por ter aligeirado o discurso durante o verão, após o confinamento do primeiro estado de emergência, que pôs a economia de rastos, e não antecipou a segunda vaga da pandemia. Resistiu, igualmente, à difícil negociação do OE, depois de o Bloco de Esquerda ter tirado o tapete ao Governo. Mas António Costa é um homem cada vez mais só.

O rosto do combate à pandemia
A ministra sobreviveu ao enorme desafio que é estar à frente da pasta da Saúde em tempo de pandemia, num país com um Serviço Nacional de Saúde com problemas estruturais. Mas nem as desavenças com o primeiro-ministro enfraqueceram Marta Temido, que tem a grande prova em 2021: a execução do Plano Nacional de Vacinação. 

Factos do ano
Justiça e Menores: o País que falha
A operação Lex mostrou que a Relação de Lisboa funcionava à margem da lei. O Ministério Público acusou dezassete pessoas dos crimes de corrupção ativa e passiva para ato ilícito, recebimento indevido de vantagem, abuso de poder, usurpações de funções, falsificação e fraude. No ano em que o juiz Rui Rangel e o presidente do SLB, Luís Filipe Vieira, foram acusados no âmbito deste processo, que expõe as fragilidades da própria Justiça, o País comoveu-se com o horror sofrido por Valentina, a menina de nove anos assassinada pelo pai e pela madrasta. O crime de Peniche expôs as falhas da Comissão de Proteção de Menores no cumprimento da sua missão - ninguém viu os sinais ou ouviu de facto a menina, violentamente torturada durante horas, até à morte, a tempo de a salvar. 
Donald Trump Humanidade Covid-19 Mundo SNS Portugal Justiça País
Ver comentários