Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Secretária de Estado diz que atrasos no Cartão de Cidadão são culpa de quem vai para a porta antes de abrir

Anabela Pedroso diz que filas à porta de entrada dos serviços estão a causar atrasos nos pedidos.
24 de Junho de 2019 às 15:10
Cartão de cidadão
Cartão de Cidadão
Cartão do Cidadão
Cartão de cidadão
Cartão de Cidadão
Cartão do Cidadão
Cartão de cidadão
Cartão de Cidadão
Cartão do Cidadão
A secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso, diz que os atrasos no atendimento dos registos para tratar do Cartão de Cidadão (CC) acontece em grande parte porque os utentes vão para as portas dos serviços ainda antes da hora de abertura.

Na resposta a uma pergunta do partido Os Verdes sobre os atrasos no pedido e renovação do CC Anabela Pedroso lembrou que se registou um aumento de procura na sequência das novas regras da lei da nacionalidade e da saída do Reino Unido da União Europeia. 

"Não se pode deixar de dar nota que os atrasos também são o resultado de um fenómeno próprio e específico da procura que tem a ver com o facto da generalidade dos cidadãos optar, sistematicamente, por se dirigir aos mesmos serviços, à mesma hora – antes da abertura do atendimento ao público", lê-se na carta enviada pela secretária de Estado e citada pelo jornal Público.

Anabela Pedroso relembra que os serviços onde se nota uma maior afluência ainda antes da abertura dos serviços é no Campus da Justiça (Parque das Nações), Conservatória do Registo Civil de Lisboa (Picoas) e lojas do cidadão das Laranjeiras e Marvila, em Lisboa.

De acordo com a secretária de Estado, no Campus da Justiça têm-se registado diariamente cerca de 200 cidadãos muito antes do início do horário de atendimento ao público, o que encerra imediatamente a entrega de senhas aquando da abertura de portas e ainda que só nos primeiros quatro meses deste ano a procura geral pelos serviços de CC aumentou 24% face ao período homólogo.

A secretaria de Estado informa ainda que estão a ser estudadas soluções para minimizar os impactos que passam, essencialmente, por disponibilizar erviços online, propondo aos cidadãos datas para agendamento dois meses antes de o cartão caducar, alargando horários de funcionamento em meia hora por dia e abrindo alguns serviços ao sábado, de acordo com o diário.

A secretaria de Estado diz ainda que "seria desejável" que se contratassem "mais cerca de 50" funcionários para a normalização dos serviços.
Ver comentários