Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Bispos portugueses recomendam comunhão na mão e omissão de beijos da paz nas missas

Conferência Episcopal Portuguesa apelou "à serenidade e ao incremento da prevenção nos cuidados de higiene".
Lusa 2 de Março de 2020 às 21:26
Igreja
Igreja FOTO: Getty Images
A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) recomendou esta segunda-feira que, face ao surto de Covid-19, os fiéis recebam a comunhão na mão e que se omita, enquanto continuar a situação de risco, o gesto da paz nas eucaristias.

Em comunicado divulgado esta segunda-feira, o Conselho Permanente da CEP apelou "à serenidade e ao incremento da prevenção nos cuidados de higiene", defendendo que sejam seguidas "estritamente as indicações e normas da Direção-Geral da Saúde".

"Como em situações semelhantes e em sintonia com outras conferências episcopais e dioceses, e para evitar situações de risco, recomendamos algumas medidas de prudência nas celebrações e espaços litúrgicos, como, por exemplo, a comunhão na mão, a comunhão por intinção [molhar a hóstia no vinho consagrado] dos sacerdotes concelebrantes, a omissão do gesto da paz e o não uso da água nas pias batismais".

O surto de Covid-19, detetado em dezembro, na China, e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.000 mortos e infetou quase 90 mil pessoas em 67 países, incluindo duas em Portugal.

Das pessoas infetadas, cerca de 45 mil recuperaram.

Além de 2.912 mortos na China, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América e Filipinas.

Um português tripulante de um navio de cruzeiros está hospitalizado no Japão com confirmação de infeção.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde confirmou os dois primeiros casos de infeção em Portugal, um homem de 60 anos e outro de 33, internados em hospitais do Porto.

Ver comentários