Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Cães recebem treino para controlar diabetes

Renato Loureiro acompanhado por Link, o cão enfermeiro, que o ajuda a controlar a diabetes.
Vanessa Fidalgo 2 de Fevereiro de 2020 às 07:42
Renato Loureiro acompanhado por Link, o cão enfermeiro, que o ajuda a controlar a diabetes
Associação foi este sábado recolher quatro cães, antes abandonados, para iniciarem formação
Renato Loureiro acompanhado por Link, o cão enfermeiro, que o ajuda a controlar a diabetes
Associação foi este sábado recolher quatro cães, antes abandonados, para iniciarem formação
Renato Loureiro acompanhado por Link, o cão enfermeiro, que o ajuda a controlar a diabetes
Associação foi este sábado recolher quatro cães, antes abandonados, para iniciarem formação

À primeira vista pode não parecer, mas Link é um verdadeiro enfermeiro ao serviço 24 horas por dia. Pelo menos desde que chegou a casa de Renato Loureiro, 44 anos, diabético (Tipo 1) desde os 18. O filho de 7 anos também já foi diagnosticado com a doença.

Como um verdadeiro profissional, Link fez formação intensiva: é um dos sete cães que a Associação Pata D’Açúcar treinou para detetar a subida dos níveis de glicose. "Quando os níveis estão alterados, ele começa a olhar-me fixamente e a ganir. Se eu não lhe prestar atenção, começa mesmo a ladrar", explica Renato, que tem no cão o melhor amigo para controlar a doença que partilha com o filho.

"Para o Lucas, ele é o melhor cão do Mundo, claro!", acrescenta. Link ainda não vai para a escola com Lucas, mas acompanha todos os dias Renato, no trabalho. A EDP, empresa em que está empregado, foi, aliás, a primeira em Portugal a permitir que cães de assistência a diabéticos pudessem acompanhá-los ao longo do dia de trabalho.

A Associação Pata D’Açúcar ganhou forma por desafio lançado a Nuno Benedito, treinador canino, por um agora membro da associação que desejava treinar o cão para o auxiliar a lidar com a diabetes. Após um ano de pesquisa, Nuno conseguiu treinar o Thor com tanto sucesso que decidiram partir para a criação da associação. Já entregaram sete cães a sete famílias.

"Sentem uma melhoria considerável da sua qualidade de vida, tanto na questão da diabetes como na adoção de hábitos de vida saudáveis e de ações de inclusão social", garante Nuno. O projeto é gratuito para os tutores dos animais, devendo os mesmos suportar os encargos normais de um cão de companhia, após a cedência da tutela. Para receberem um cão, têm de sujeitar-se a um processo de seleção que inclui uma entrevista e um período de formação.

O treino é feito por "metodologias positivas" e participativas, que "canalizam as potencialidades olfativas dos animais para a interpretação dos odores nos diferentes estágios diários da doença". Além disso, a Pata D’ Açúcar só treina animais resgatados. Este sábado, foi buscar mais quatro à Associação Bianca, em Setúbal, naquele que foi o ‘dia 0’ da sua nova vida de ‘enfermeiros caninos’.

Ver comentários