Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
1

Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio

Iniciativa decorre durante os períodos de confinamento obrigatório.
Joaquim Bernardo 26 de Novembro de 2020 às 16:54
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio
Câmara de Sines apoia entrega de refeições ao domicílio

A Câmara Municipal de Sines, com risco muito elevado de transmissão da Covid-19, vai pagar as taxas de entrega ao domicílio das refeições compradas em restaurantes locais nos dias 28, 29 e 30 de novembro e 1, 5, 6, 7 e 8 de dezembro de 2020.

O serviço, contratualizado com a única empresa a prestar este tipo de serviço na cidade, tem como objetivo "incentivar os clientes à realização de encomendas nos períodos em que as restrições impostas pelo estado de emergência impedem a frequência dos restaurantes com normalidade por parte dos clientes, quer nos serviços de almoço quer de jantar" explicou Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara Municipal de Sines.

A medida aplica-se ao fornecedor de entregas noMENU Sines, sediado em Sines, que funciona já com uma rede de 25 parceiros, fazendo entregas em três áreas da cidade: zona 1 – cidade/centro; zona 2 – área dos terminais portuários; zona 3 – zona das refinarias.

O município suportará, assim, as taxas de entrega que habitualmente o prestador de serviços de entregas ao domicílio cobra ao cliente final.

De acordo com Nuno Mascarenhas, presidente da Câmara Municipal de Sines, "este apoio aos munícipes e à restauração, teve por base apoiar e dar mais um estímulo à economia local e foi decidida   pelo facto de Sines se encontrar na lista dos concelhos de risco "muito elevado" de contágio pelo novo coronavírus e tendo presente as medidas mais restritivas que afetam o concelho".

"Os restaurantes que têm o seu próprio serviço de entregas podem continuar a tê-lo. Os que não têm essa possibilidade poderão, através desta solução, prover o serviço de entregas ao domicílio. É um contributo que podemos dar à restauração nestes dois fins-de-semana», conclui Nuno Mascarenhas.

Recorde-se que entre estas restrições se encontram a proibição de circulação na via pública aos sábados e domingos entre as 13h00 e as 5h00 e a proibição de circulação na via pública nos feriados de 1 e 8 de dezembro entre as 13h00 e as 5h00. Nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro os estabelecimentos comerciais terão de encerrar até às 15h00.

Todos os estabelecimentos que não integram a rede e que pretendam fazê-lo devem contactar o prestador de serviços noMENU Sines, licenciado para a realização de entrega de refeições ao domicílio, fator que melhor garante o cumprimento das boas práticas recomendadas pela AHRESP e pela DGS.

O concelho de Sines conta com 13.750 habitantes. Desde o inicio da pandemia já foram infetadas 257 pessoas pelo coronavírus, das quais 187 já recuperaram, 63 continuam infetadas e 7 faleceram.

Covid-19 Câmara Municipal de Sines Sines Nuno Mascarenhas questões sociais autoridades locais
Ver comentários