Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Cheias em dia de sol nas zonas ribeirinhas

Veraneantes foram surpreendidos com a subida rápida das águas.
Mário Freire 17 de Julho de 2018 às 08:42
As terras acumularam-se nas praias fluviais de Oliveira do Hospital e Arganil
Tempo
Sol
As terras acumularam-se nas praias fluviais de Oliveira do Hospital e Arganil
Tempo
Sol
As terras acumularam-se nas praias fluviais de Oliveira do Hospital e Arganil
Tempo
Sol
A época balnear em algumas praias fluviais dos concelhos de Oliveira do Hospital e Arganil pode estar em causa, devido à enxurrada de domingo à tarde. A chuva forte causou inundações nas zonas ribeirinhas e deixou as zonas balneares submersas com detritos e pedras, em alguns casos com dois metros de altura.

Trovoada, granizo e chuva forte caíram durante meia-hora, na serra do Açor e Serra da Moura.

Em Sobral Magro, aldeia montanhosa de Arganil, algumas pontes pedonais de acesso à encosta e para algumas casas foram destruídas pela força da água, que arrastou "árvores, pedras e muita terra", contou Paula Lima, que vive em Lisboa e que chegou no domingo à aldeia onde tem casa, para uma semana de férias.

O largo da capela foi a zona mais afetada. Uma das entradas ficou com 90 centímetros de terras.

"A maçaneta da porta ficou enterrada. Estão aqui vários dias de trabalho", calculou Amândio Dinis, presidente da Junta de Pomares. Nas zonas ribeirinhas, "não choveu e até estava bom tempo", contou José Costa, de 72 anos, que mora em Pomares.

Foi surpreendido pela subida rápida da ribeira, "que galgou as margens como nunca vi".

A montante, em Avô (Oliveira do Hospital), a população foi avisada pelos vizinhos e conseguiram abrir as comportas do rio Alva, mas não evitaram algumas inundações.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)