Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Confinamento limita uso de cartões de refeição

Cerca de 1,2 milhões recebem em média 6,50 € por dia em cartão.
Raquel Oliveira 20 de Abril de 2020 às 08:40
Cartão de refeição
Cartão de refeição FOTO: Direitos Reservados

O confinamento e o encerramento dos restaurantes estão a limitar o uso dos subsídios de refeição pagos através de cartões pelas empresas. Até ao momento, apenas a Sodexo criou uma alternativa ao uso do subsídio de refeição, permitindo a sua associação ao sistema MB Way, adiantou ao CM fonte da Deco/Proteste.

A maioria dos cartões de refeição está assim atualmente limitada aos pagamentos presenciais nos supermercados ou nos estabelecimentos com takeway. E, numa altura em que as autoridades de saúde aconselham o pagamento sem contacto direto com os terminais de pagamento, estes cartões obrigam à marcação de um PIN. Ou seja, há trabalhadores que nem sequer podem usar o saldo do cartão que, entretanto, se acumula.

Segundo a Proteste, a Sodexo é a única empresa (das três principais que operam no mercado) que, face à pandemia, criou a possibilidade de associar o cartão à aplicação MB Way.

De acordo com o estudo ‘Impacto Macroeconómico e Social da Titularização do Subsídio de Refeição em Portugal’, há cerca de 1,2 milhões de utilizadores de cartões de refeição que recebem, em média, 6,50 euros por dia. Só a Edenred conta com cerca de 10 mil clientes e meio milhão de utilizadores. Contactada pelo CM, a empresa não esclareceu até ao fecho desta edição se irá criar alternativas.

Com as regras atuais, a diferença entre o subsídio de refeição pago em cartão face ao pagamento em dinheiro é de 170,45 euros por ano. Já as empresas, poupam 156,91 euros anuais.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)