Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Deco já recebeu 5300 pedidos de ajuda de consumidores que cancelaram férias e não receberam reembolsos

Deco alerta que há vouchers que levam à perda do reembolso.
Salomé Pinto 14 de Abril de 2020 às 08:28
Hotéis não estão a devolver os pagamentos às agências, dificultando o reembolso dos turistas, diz a APAVT
Hotéis não estão a devolver os pagamentos às agências, dificultando o reembolso dos turistas, diz a APAVT FOTO: Marisa Cardoso
A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor - Deco já recebeu 5300 pedidos de ajuda de consumidores que tiveram de cancelar as férias e não conseguiram ser reembolsados, revelou esta segunda-feira ao Correio da Manhã o coordenador do departamento Jurídico e Económico da Deco, Paulo Fonseca. "Cerca de 80% dos casos foram resolvidos, a maioria através de vouchers ou reagendamento da reserva", acrescentou.

Através da "‘Linha de apoio ao viajante’ da Deco, que funciona todos os dias úteis das 10h-18h", os consumidores podem obter "apoio jurídico para resolver casos de conflito" com as agências de viagens e outros operadores turísticos, explica Paulo Fonseca. "O consumidor tem sempre direito ao reembolso, mas é possível, com o consentimento das partes, optar por vouchers ou adiamento das viagens", acrescentou. A Deco chamou ainda a atenção para as condições dos vouchers que, nalguns casos, determinam que, se não forem usados, o cliente perde direito a qualquer compensação. É para evitar este tipo de situações que Paulo Fonseca entende que o Governo deveria clarificar a legislação.

A Associação das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) defende que "o Governo tem de encontrar uma solução para casos em que companhias aéreas e sobretudo os hotéis não devolvem o dinheiro às agências", afirmou ao CM o vice-presidente da APAVT, Duarte Correia. Nessas circunstâncias, "as agências não têm como reembolsar os clientes", alertou.
Ver comentários