Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Dezenas exigem saída do ministro da Educação

Docentes concentraram-se junto ao Parlamento.
Bernardo Esteves 30 de Outubro de 2020 às 08:59
Docentes concentraram-se junto ao Parlamento
Docentes concentraram-se junto ao Parlamento FOTO: Tiago Sousa Dias
Dezenas de dirigentes da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) protestaram esta quinta-feira junto à Assembleia da República, em Lisboa, por considerarem insuficiente o orçamento dedicado à Educação. Mário Nogueira exigiu a demissão do ministro Tiago Brandão Rodrigues. “Quem não sabe ter uma atitude democrática só tem um caminho, é sair, ir embora, dar lugar a quem saiba fazer melhor, coisa que este ministro já provou não ser capaz”, afirmou o dirigente sindical num discurso junto às escadarias.

Nogueira responsabilizou o ministro por um Orçamento do Estado em que a Educação vale apenas 3,2% do PIB. “A nossa proposta é que se trabalhe agora na fase da especialidade [do Orçamento] para que no próximo ano a Educação valha quatro por cento do PIB, que em 2022 atinja os cinco por cento, e que os seis por cento sejam atingidos até final da legislatura", afirmou.

pormenores
Faixas com reivindicações
Os professores desenrolaram junto ao Parlamento faixas gigantes com reivindicações como a necessidade de combater a precariedade no ensino, promover concursos justos ou pôr fim à municipalização do ensino.

Regras cumpridas
Mário Nogueira garantiu que no protesto desta quinta-feira foram cumpridas todas as regras sanitárias, nomeadamente o distanciamento social e o uso de máscara. O dirigente destacou que o cuidado tido pela Fenprof contrasta com a forma como as escolas funcionam.
Ver comentários