Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Escola denuncia desvio de 400 mil euros de salários

Esquema elaborado terá perdurado no tempo. Judiciária e Ministério Público investigam.
Ana Isabel Fonseca 8 de Setembro de 2020 às 08:29
Agrupamento de Escolas de São Lourenço, em Ermesinde, Valongo
Agrupamento de Escolas de São Lourenço, em Ermesinde, Valongo FOTO: Marc Ricard Silva

A queixa foi apresentada pela própria direção do Agrupamento de Escolas de São Lourenço, em Ermesinde, Valongo. Foi dado conhecimento ao Ministério Público de que uma auditoria tinha revelado um desvio de 400 mil euros. Foi ainda apontada como responsável a técnica que estava incumbida do processamento de salários. O caso está, entretanto, já ser investigado também pela Polícia Judiciária.

Fonte ligada ao processo deu conta ao CM de que se tratava de uma esquema muito elaborado, que terá perdurado no tempo. Não se sabe exatamente quando é que a funcionária começou a desviar dinheiro. A técnica terá ficado com montantes que eram relativos às retenções obrigatórias nos ordenados, como é por exemplo o caso do IRS. A mulher deveria transferir os valores dos descontos, quer dos funcionários do agrupamento, quer dos professores, para a Caixa Geral de Aposentações e para a Autoridade Tributária. Em vez disso, os valores terão sido desviados para contas pessoais da mulher.

"Foi muito difícil detetar o esquema, uma vez que o dinheiro era efetivamente descontado, apenas não chegava ao destinatário certo", explicou a mesma fonte ao CM.

A funcionária era responsável pelos processamentos de salários dos funcionários e dos docentes de várias escolas e tinha precisamente também a função de transferir o dinheiro dos descontos. Para tal, tinha duas palavras-passe, que lhe permitiam fazer as operações bancárias. Movimentava assim o dinheiro sem que existisse controlo.

Foi já só no final do ano passado, em dezembro, que a mulher foi apanhada após ter sido efetuada uma auditoria por parte da Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC).

O Correio da Manhã contactou esta segunda-feira a direção do Agrupamento de Escolas de São Lourenço, que recusou prestar esclarecimentos sobre a investigação que está em curso.

Ministério confirma que existe processo em investigação
O Ministério da Educação confirmou ontem também que a Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) tem um inquérito em curso.

Numa nota, a tutela deu conta de que foram "detetadas infrações com relevância disciplinar no âmbito do funcionamento da tesouraria".

Acrescenta que o processo da IGEC corre "nos termos devidos". Atualmente, a funcionária já não se encontra ao serviço.

Ver comentários