Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Estudo em Casa regressa com novidades para o ano lectivo 2020/2021

Programa vai contar com novo bloco de ensino para orientar para o trabalho autónomo.
Lusa 18 de Outubro de 2020 às 13:37
Marcelo Rebelo de Sousa esteve na rúbrica 'Estudo em Casa' em junho
Marcelo Rebelo de Sousa esteve na rúbrica 'Estudo em Casa' em junho FOTO: Direitos Reservados
O Ministério da Educação relança na segunda-feira na RTP o Estudo em Casa para o ano letivo 2020/2021 e com um novo bloco de ensino para orientar para o trabalho autónomo, anunciou hoje o Governo.

"A introdução do novo bloco de 'Orientação para Trabalho Autónomo' provém da consciência da necessidade de desenvolver nos alunos formas de autorregulação e de aprofundamento das aprendizagens", explica o Ministério da Educação, em comunicado.

Este novo bloco vai "ao encontro da progressiva evolução da área de competências de 'Desenvolvimento pessoal e autonomia', preconizada no perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória".

"Porque já não se trata de um recurso concebido numa situação de premência, a Direção-Geral da Educação concebeu os novos recursos de forma ainda mais estruturada e que constituirá, além do mais, um dos mais ricos, completos e transversais produtos pedagógicas produzidos nos últimos anos", justifica.

O Ministério da Educação defende "a importante autonomização do 1.º e do 2.º anos, que decorre da necessidade de adequação às especificidades deste início de ciclo, marcado pela aquisição da escrita e da leitura".

"Fator que condiciona inevitavelmente a metodologia a adotar, sendo evidente no 1.º ano a preponderância do domínio da oralidade, por exemplo, em atividades de compreensão, como forma de preparação para futuras atividades de compreensão da escrita", considera.

Para este novo ano letivo, na RTP Memória, à semelhança do que aconteceu desde abril, por causa do confinamento devido pandemia de covid-19, o Governo criou "uma equipa de coordenação e uma equipa específica para o seu desenvolvimento, composta por cerca de quatro dezenas de professores e quatro intérpretes de Língua Gestual Portuguesa".

"Esta nova fase terá uma incidência particular no Ensino Básico, iniciando-se no dia 19 de outubro, por forma a acompanhar o calendário escolar definido pelo Ministério da Educação (durante as cinco semanas dedicadas especificamente à recuperação de aprendizagem, também a RTP Memória repôs blocos pedagógicos temáticos do ano anterior)", esclarece.

Os conteúdos diários "têm tempo limitado, em blocos de cerca de 30 minutos, num total de 75 blocos semanais, cumprindo-se a maior parte das componentes curriculares, organizadas disciplinar e interdisciplinarmente".

"Estas transmissões vão ocupar a grelha da RTP Memória, das 09:00 às 16:30, com conteúdos que fazem parte das Aprendizagens Essenciais. Tal como no ano passado, os blocos da manhã são dedicados aos 1º e 2º ciclos e os da tarde ao 3º ciclo, fazendo por norma a disciplina de Português Língua não Materna a transição entre os dois turnos", explica.

O Ministério da Educação anuncia ainda novos conteúdos destinados ao secundário, uma vez que este ano letivo o programa é alargado aos jovens deste nível de ensino "como consequência da vontade de acolher todos os alunos neste projeto, o #EstudoEmCasa 2020/2021".

"Para esta modalidade, foram operacionalizadas algumas alterações ao modelo do Ensino Básico. Apesar de este nível de ensino ter a mesma equipa educativa e o mesmo número de blocos semanais, estes serão organizados em blocos temáticos que podem ser abordados sequencial ou isoladamente", adianta a nota de imprensa.

A partir de novembro, os conteúdos ficam acessíveis na RTP Play e na APP de forma a serem utilizados como "reforço das aprendizagens, especialmente em contexto fora da sala de aula", entende o Ministério da Educação.

Ver comentários