Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Falta de psicólogos dificulta acompanhamento dos portugueses, alerta bastonário

"Continuamos com um nível de resposta muito semelhante aquele que existia antes da crise pandémica", diz Ordem dos psicólogos.
Lusa 21 de Janeiro de 2021 às 19:37
Francisco Miranda Rodrigues
Francisco Miranda Rodrigues FOTO: Pedro Catarino
O bastonário dos Psicólogos alertou esta quinta-feira que os centros de saúde dispõem de um número de profissionais desta área semelhante ao existente antes da pandemia, o que dificulta o acompanhamento dos impactos da covid-19 na população portuguesa.

"Continuamos com um nível de resposta muito semelhante aquele que existia antes da crise pandémica para o acompanhamento continuado nos centros de saúde" do país, disse Francisco Miranda Rodrigues, ouvido por videoconferência na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença covid-19 e do processo de recuperação económica e social.

Segundo o bastonário da Ordem dos Psicólogos, antes da pandemia da covid-19, os centros de saúde tinham ao seu serviço cerca de 250 psicólogos e, desde então, "não existem dados oficiais sobre o número de contratações temporárias que tenham sido feitas".

Uma estimativa da ordem aponta para "cerca de 50 psicólogos que podem ter sido contratados em regime temporário em todo o país", referiu Francisco Miranda Rodrigues, ao defender que mesmo antes da pandemia já existia a "necessidade de duplicação [de profissionais] para dar uma resposta mínima" que permitisse "acabar com os dois anos de espera em alguns sítios para uma primeira consulta" desta área.

"Sem o mínimo de recursos não vamos conseguir fazer um trabalho daqui para a frente ainda mais crítico", alertou o bastonário, ao salientar que diversos estudos que têm sido publicados demonstram "que o impacto psicológico desta pandemia chega à maioria da população" portuguesa em diversos graus.

Na audição parlamentar, Francisco Miranda Rodrigues sublinhou ainda o facto de as escolas terem reforçado "de forma substancial a resposta dada pelos psicólogos com contratações num número considerável", que ascenderam a mais de 400.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.075.698 mortos resultantes de mais de 96,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.465 pessoas dos 581.605 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Francisco Miranda Rodrigues saúde demografia emigrantes organizações de saúde
Ver comentários