Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Governo recusa ceder à pressão dos taxistas contra a ‘lei da Uber’

João Matos Fernandes, ministro do Ambiente, garantiu que a ‘lei da Uber’ entra em vigor a um de novembro.
João Saramago 20 de Setembro de 2018 às 01:30
Greve dos taxistas em Lisboa
Greve dos taxistas nos Aliados
Greve dos taxistas em Faro
Greve dos taxistas em Faro
Greve dos taxistas em Lisboa
Greve dos taxistas nos Aliados
Greve dos taxistas em Faro
Greve dos taxistas em Faro
Greve dos taxistas em Lisboa
Greve dos taxistas nos Aliados
Greve dos taxistas em Faro
Greve dos taxistas em Faro
O protesto que quarta-feira contou com cerca de mil motoristas de táxi em Lisboa, Porto e Faro não levou o Governo a recuar na chamada ‘lei da Uber’.

"No dia um de novembro, a lei entra em vigor" esclareceu o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, sublinhando que a legislação contou um "consenso alargado" no parlamento.

Conhecida a posição do governo e depois de terem reunido com os diferentes grupos parlamentares, as duas entidades representativas do setor apelaram para que os profissionais se mantenham nas ruas.

Nos Restauradores, em Lisboa, o presidente da Associação Nacional de Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), Florêncio de Almeida, afirmou que o protesto continua.

Por sua vez, no Porto, o vice-presidente da ANTRAL, José Monteiro, lançou um apelo para uma maior participação. Também no Algarve, o presidente da cooperativa Rotáxis de Faro, Francisco José Pereira, confirmou a continuação do protesto.

A concentração nas três cidades visa impedir a entrada em vigor da lei que regula as plataformas Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu entretanto que é necessário "um equilíbrio justo" entre o setor do táxi e as plataformas.

Impacto sentido no aeroporto de Lisboa 
Os passageiros que aterraram no aeroporto de Lisboa recorreram ao Metro como alternativa à paralisação, gerando desorientação e filas junto às bilheteiras.

O espaço reservado aos táxis na zona das chegadas do Aeroporto Humberto Delgado estava vazio, o que apanhou de surpresa a maioria os passageiros.

"Ninguém informou. Andei às voltas e só depois é que percebi que não havia táxis", criticou o turista dinamarquês Jacob Müller.

Metade da frota algarvia marcou presença  
Mais de 250 táxis marcaram presença quarta-feira, desde manhã, na concentração que decorreu em Faro. Estes veículos correspondem a mais de metade da frota existente na região algarvia.

Sempre com a supervisão da GNR, foram bloqueadas as duas principais vias da Estrada Nacional 125-10, que dão acesso ao Aeroporto de Faro, deixando apenas uma terceira via, mais pequena, que geralmente é usada como acesso a negócios locais.

Rui Moreira recebeu dirigentes no Porto 
O protesto dos motorista de táxi no Porto ficou marcado pelo encontro entre os dirigentes das estruturas do setor - ANTRAL e FPT - e o presidente da câmara, Rui Moreira.

"Nós transmitimos as nossas preocupações ao senhor presidente, que se mostrou sensibilizado e solidário com a nossa luta", disse José Monteiro, vice-presidente da ANTRAL.

Os taxistas da invicta reclamam também autorização para operar nos concelhos vizinhos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)