Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Grupo de cidadãos contra novos hotéis em Portimão

Contestam projeto de investimento de 43 milhões para construção de três hotéis, numa área de 31,7 hectares.
João Mira Godinho 10 de Março de 2019 às 10:27
A carregar o vídeo ...
Contestam projeto de investimento de 43 milhões para construção de três hotéis, numa área de 31,7 hectares.

Um conjunto de atividades, realizadas ao longo deste sábado, em Portimão, procurou sensibilizar a população para a preservação da zona conhecida como do João de Arens.

A iniciativa foi organizada pelo autodenominado ‘Grupo de cidadãos contra a construção no João de Arens’, que luta contra a edificação de três hotéis, entre as praias do Vau e Prainha.

O grupo considera que o projeto "constitui a destruição do último reduto natural existente na costa do concelho de Portimão, com apreciável valor natural". E destaca a "avifauna abundante" na zona, que leva "muitos guias da natureza a lá levarem os clientes".

Com este "novo projeto tudo isto está ameaçado", conclui o grupo, apelando à participação no processo de consulta pública do Estudo de Impacte Ambiental, em curso até 15 de março.

Conforme o CM noticiou, o projeto, com um investimento estimado a rondar os 43 milhões de euros, prevê a construção de três hotéis de luxo (cinco estrelas) numa área de 31,7 hectares, num total de 411 quartos (822 camas). Os edifícios terão três pisos de altura. Os promotores dizem que os hotéis vão criar 400 postos de trabalho.

O plano de urbanização onde se insere o projeto turístico foi aprovado, pela Câmara de Portimão, em janeiro de 2008.

O loteamento tem como promotores as sociedades Astronow, MI Estoril Invest, Areia Feliz, Top Building e Prainha, estando previsto um prazo de execução de seis meses para a execução das infraestruturas gerais e de 16 a 18 meses para a construção de cada um do hotéis.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)