Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Guarda considera Geopark Estrela "grande alavanca" para desenvolvimento do território

UNESCO atribuiu à Serra da Estrela o estatuto de Geopark Mundial.
Lusa 3 de Setembro de 2019 às 17:24
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
Serra da Estrela
O presidente da Câmara Municipal da Guarda recebeu esta terça-feira com "muita satisfação" a aprovação da Serra da Estrela como Geopark Mundial pela UNESCO, considerando tratar-se de uma "grande alavanca" para o desenvolvimento do território.

Carlos Chaves Monteiro disse à agência Lusa que o reconhecimento da riqueza geológica da Serra da Estrela constitui "uma grande alavanca para o desenvolvimento abrangente de um território que tem, de facto, alguns problemas, mas também tem potencialidades como esta candidatura e a aprovação através da UNESCO o demonstraram".

A candidatura da Serra da Estrela a Geopark Mundial foi aprovada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na 4.ª Sessão do Conselho de Geoparks Mundiais, realizada na Indonésia, foi esta terça-feira anunciado.

"A região da Serra da Estrela viu ontem [segunda-feira] aprovada pelo Conselho de Geoparks Mundiais da UNESCO a sua candidatura a Geopark Mundial e fica agora apenas a aguardar o parecer do Conselho Executivo da agência das Nações Unidas", refere a Associação Geopark Estrela em comunicado enviado à agência Lusa.

O presidente da autarquia da Guarda recebeu o anúncio com "muita satisfação" e afirmou à Lusa que "é o corolário de um trabalho que foi desenvolvido pelos diversos municípios envolvidos, sabendo de antemão que a Serra da Estrela é, de facto, uma marca importante para o território".

"Esta candidatura vem reforçar não só uma marca em termos nacionais, mas também em termos internacionais. A UNESCO reconhece desta forma a nossa riqueza geológica. Desde logo, a Guarda tem na Quinta da Taberna um dos seus principais ícones da geologia natural, presente e testemunhada no território do concelho da Guarda e da Serra da Estrela", justificou.

Para o autarca, a Serra da Estrela "é o eixo fundamental que pode promover o desenvolvimento do território" e alavancar outros projetos que os municípios da região estão a dinamizar, dando o exemplo dos Passadiços do Mondego, no seu concelho.

Carlos Chaves Monteiro lembra que o concelho da Guarda é o que tem maior território na Serra da Estrela, o que sempre motivou o município a estar na "primeira linha" no financiamento e "na resolução dos primeiros problemas, mais de caráter administrativo e estatutário" da Associação Geopark Estrela.

"[O município] esteve na primeira linha e assumiu até esta data integralmente aquilo que foram os seus compromissos, o que ajudou muito a suportar os custos de pessoal, mas também de toda a candidatura", disse.

A Associação Geopark Estrela, que tem sede no Instituto Politécnico da Guarda (IPG), é composta por nove municípios dos distritos da Guarda, Castelo Branco e Coimbra (Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia) e também pelo IPG e pela Universidade da Beira Interior (UBI).

A presidência da associação é assegurada pelo presidente do IPG, Joaquim Brigas, e a vice-presidência por José Páscoa Marques, vice-reitor da UBI.

Após a aprovação do Conselho de Geoparks Mundiais, a Serra da Estrela fica a aguardar o parecer do Conselho Executivo da UNESCO para ingressar de forma definitiva na lista de Geoparks Mundiais deste organismo das Nações Unidas, adianta a Associação Geopark Estrela.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)