Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Há um novo caso suspeito de coronavírus em Portugal. Doente internado no Porto chegou de Milão

Vão ser realizadas colheitas de amostras biológicas para análise.
Correio da Manhã e Lusa 23 de Fevereiro de 2020 às 21:24
Hospital de São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto FOTO: Peter Spark/Movephoto
Há um novo caso suspeito de coronavírus em Portugal. De acordo com um comunicado oficial da Direção-Geral da Saúde, "foi validado um caso suspeito de infeção por novo Coronavírus (COVID-19) em Portugal, após avaliação clínica e epidemiológica".

Trata-se de um doente proveniente de Milão que foi encaminhado para o Centro Hospitalar Universitário de São João, um dos hospitais de referência para estas situações.

De acordo com o mesmo comunicado, "o doente fica internado e serão realizadas colheitas de amostras biológicas para análise pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA)".

Internamento de caso suspeito é "apenas por precaução"

O internamento do doente suspeito de infeção com coronavírus no Hospital São João no Porto "é apenas por precaução", disse à agência Lusa a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, sublinhando que a DGS está a "atenta à situação".

"É apenas um caso suspeito, o seu internamento é apenas por precaução", afirmou Graça Freitas sobre o novo caso suspeito de infeção por coronavírus hoje detetado em Portugal, num homem proveniente de Milão.

"Estamos a acompanhar atentamente a situação em Itália, que está circunscrita a algumas zonas, não ao país inteiro. De qualquer maneira, de facto, internámos uma pessoa para investigação, apenas por precaução", adiantou Graça Freitas.

Reconhecendo que "muitas pessoas de Portugal estiveram em Itália nos últimos dias, nas últimas semanas, sobretudo nos últimos 14 dias, que são os dias que interessam,", a diretora-geral da Saúde fez questão de "deixar uma palavra de tranquilidade a estas pessoas, mas dizer-lhes também que estejam atentas".

"Se estão assintomáticas, [devem] estar atentas ao aparecimento eventual de sintomas, sobretudo se estiveram com doentes em Itália", disse Graça Freitas.

"Vamos publicar no nosso 'site' as áreas afetadas [em Itália] para as pessoas poderem saber quais são os focos onde a doença está presente", anunciou ainda.

A quem regressou recentemente de Itália, Graça Freitas aconselha "tomar aquelas precauções básicas de higiene das mãos, higiene respiratória, não tossir nem espirrar em direção a outras pessoas ou até mesmo falar, manter algum distanciamento social", mas também "não frequentar sítios fechados e com muita gente, a não socializar em termos de afetos. Muitos beijos e muitos abraços não serão o mais indicado nesta altura", disse.

"Pelo menos, nos próximos dias, até nós entendermos bem o que se está a passar em Itália, nomeadamente como é que este foco se instalou, como é que a doença poderá ter iniciado", sublinhou.

Insistindo para que "as pessoas se mantenham tranquilas", a diretora-geral da Saúde sublinha que quem eventualmente tenha sintomas - que incluem febre, dores no corpo e cansaço - deverá contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24.

Este é o 13.º caso suspeito de infeção com Covid-19 detetado em Portugal. Todos os 12 casos anteriores foram negativos.

As autoridades japonesas confirmaram hoje que um tripulante português do navio 'Diamond Princess', atracado em Yokohama, está infetado com o Covid-19, informou fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Desde que foi detetado no final do ano passado, na China, o coronavírus Covid-19 já provocou 2.467 mortos e infetou mais de 78 mil pessoas a nível mundial.

A maioria dos casos ocorreu na China, em particular na província de Hubei, no centro do país, a mais afetada pela epidemia.

Além de 2.442 mortos na China continental, morreram oito pessoas no Irão, quatro no Japão, duas na região chinesa de Hong Kong, cinco na Coreia do Sul, duas em Itália, uma nas Filipinas, uma em França, uma nos Estados Unidos e uma em Taiwan.

As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província de Hubei para tentar controlar a epidemia, medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.

O segundo país mais afetado é o Japão, com 769 casos (quatro dos quais mortais), incluindo pelo menos 364 no navio de cruzeiro 'Diamond Princess'.

Segue-se a Coreia do Sul, com 556 casos, cinco dos quais mortais.

Itália surge em quarto lugar dos países e territórios com mais casos, registando 132 casos de infeção por Covid-19, dois deles mortais.

Porto Portugal Milão Direção-Geral da Saúde Coronavírus COVID-19 saúde epidemias e pragas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)