Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Há uma infração muito comum entre os condutores portugueses. Saiba qual

Relatório da ANSR regista redução dos acidentes com vítimas nas estradas do continente.
Aquela Máquina 10 de Dezembro de 2020 às 17:14

Menos acidentes com vítimas, menos mortos, e menos feridos graves e ligeiros, nas estradas nacionais do continente, reforçados por um aumento na fiscalização rodoviária. 

O excesso de velocidade continua a ser a infracção mais comum cometida pelos condutores, correspondendo a 63,2% das contra-ordenações. 

São as conclusões que se retiram do mais recente relatório de sinistralidade e fiscalização rodoviária da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) nos primeiros dez meses do ano.

Ligeiros são três quartos dos acidentes

Entre Janeiro e Outubro, foram registados 21.337 acidentes com vítimas, representando os veículos ligeiros (74,4%) a "fatia de leão" dos sinistros. 

Os óbitos ascenderam a 336 no local do sinistro ou durante o transporte até à unidade de saúde, assim como 1.518 feridos graves e 25.031 feridos ligeiros. 

Estes números reflectem, de acordo com a ANSR, uma melhoria significativa nos principais indicadores de sinistralidade rodoviária em relação ao ano passado. 

São menos 8098 acidentes com vítimas (-27,3%), menos 61 vítimas mortais (-15,4%), menos 436 feridos graves (-22,3%), e menos 10 904 feridos leves (-30,3%).

Colisões e despistes mais comuns

A colisão mantém-se como a causa de acidente mais frequente, mas são os despistes (+46,7%) que provocam mais vítimas mortais. 

Mesmo assim, os números de mortos baixaram 13,7% e os de feridos graves desceram 16,6%. Menos 1,8% de vítimas mortais e menos 41,1% de feridos graves referem-se a atropelamentos. 

De assinalar que a maioria dos 21.337 acidentes com vítimas aconteceram em arruamentos (62,7%). As vítimas mortais representam 34,5% do total, enquanto os feridos graves ascendem a 43,3% e os feridos ligeiros a 60,8%. 

Ainda segundo o relatório da ANSR, 95,6 milhões de viaturas foram fiscalizadas entre Janeiro e Outubro, o que corresponde a uma subida de 27,2% na actividade de fiscalização em relação ao mesmo período de 2019. 

O aumento está directamente relacionado com a instalação de mais sistemas de radar: +32% da rede SINCRO da ANSR e +37,4% da PML. 

As acções de fiscalização detectaram mais de um milhão de infracções (-2,7% em relação a 2019), sendo o excesso de velocidade (63,2%) a contra-ordenação mais comum. 

Já segue o Aquela Máquina no Instagram?

ANSR acidentes e desastres acidente rodoviário questões sociais estilo de vida e lazer viagens morte
Ver comentários