Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Mais de 1000 novos casos de coronavírus em quatro dias na região de Lisboa e Vale do Tejo

Região registou 90% do total de doentes diagnosticados este domingo.
João Saramago 1 de Junho de 2020 às 08:04
Esplanadas cheias no Parque das Nações, em Lisboa
Esplanadas cheias no Parque das Nações, em Lisboa FOTO: Paulo Calado
O número de novos casos de Covid-19 disparou em Lisboa e Vale do Tejo. Só nos últimos quatro dias foram registados mais 1090, para um total de 11 142 casos confirmados naquela região, avançou a Direção-Geral da Saúde.

Na tentativa de travar novos focos de contágio na Grande Lisboa, a ministra da Saúde adiantou que serão realizados sete mil testes por dia. Marta Temido reconhece que há centros de saúde da região sem capacidade de resposta a outras doenças. Este domingo, foram diagnosticados 297 novos casos em Portugal: destes, 268 (90%) na região de Lisboa e Vale do Tejo. O registo não assusta os lisboetas que, este domingo à tarde, voltaram a encher esplanadas. 


"As normas sanitárias devem valer para todos, devem valer para os bairros periféricos de Lisboa, mas devem valer também em festas de sociedade", alertou o Presidente da República. Marcelo Rebelo de Sousa chamou a atenção dos jovens que, afirma, "têm a sensação de que não correm riscos", mas que os transportam: "um terço da população é de risco" e a imagem do País pode sair prejudicada "cá dentro e lá fora".

Os concelhos que mais preocupam são os de Loures, Odivelas, Amadora, Sintra e Lisboa, explicou este domingo a ministra da Saúde, notando que a aposta está na colheita de amostras de trabalhadores, sobretudo, da construção civil. Naquela região, habitação alternativa está a ser assegurada a quem não tenha condições para cumprir o isolamento em casa. Na Amadora, estão disponíveis "cerca de uma centena de camas". Marta Temido reuniu este domingo com autarcas de Sintra e da Amadora.

Homem infetado viola confinamento nas ruas de Loures
Um homem com cerca de 50 anos, doente com Covid-19, não cumpre o confinamento a que está obrigado e foi detetado numa rua de Camarate, no concelho de Loures, às compras. O alerta foi dado pela Unidade de Saúde Familiar de Camarate, junto das autoridades, depois de o paciente ter sido informado da necessidade de ter de recolher à habitação. O médico Roque da Cunha entende que as ações de sensibilização têm de ser mais eficazes. "É necessário que as pessoas infetadas compreendam que têm de estar em casa", referiu.

Utilização inadequada de cafés no Jamaica
A ministra da Saúde, Marta Temido, justificou este domingo o encerramento de oito cafés e bares no bairro da Jamaica, no Seixal, bem como o forte dispositivo policial, com "o não acatamento das indicações de utilização". Recusou ainda a ideia de "disparidade" entre a ação naquele bairro e no centro logístico da Sonae, na Azambuja, que permanece a laborar. "O trabalho de Saúde Pública conta com a proporcionalidade e adequação de respostas àquilo que são as necessidades. Temos aqui fenómenos de natureza diferente", afirmou Marta Temido".
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)