Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Saiba o que é uma hérnia umbilical, a lesão que afetou Marcelo

Presidente da República foi internado de urgência para ser operado.
Francisca Genésio 28 de Dezembro de 2017 às 16:31
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa foi internado de urgência para ser operado a uma hérnia umbilical, no Hospital Curry Cabral, em Lisboa. A médica cirurgiã Ana Silva Guerra, explicou ao Correio da Manhã a lesão do Presidente da República.





O que é uma hérnia umbilical? Em que consiste?
A hérnia umbilical corresponde a uma zona de fraqueza da parede abdominal, na região do umbigo, que permite que gordura da cavidade abdominal ou parte do intestino faça saliência para o exterior.

Como é que ela surge? 
Mais frequentes na criança que no adulto, quando surgem, na idade adulta relacionam-se o aumento da pressão na cavidade abdominal. As causas mais comuns que provocam esse aumento de pressão são: obesidade, a gravidez, sobretudo a gravidez múltipla, atividades como levantar pesos, a tosse crónica, a obstipação e a realização de cirurgia abdominal.

Como é feito o diagnóstico?
A hérnia umbilical manifesta-se como uma saliência mole próxima do umbigo. Pode não causar sintomas, mas é comum, no adulto estar associada a algum tipo de desconforto ou mesmo dor.

Que consequências traz?
A hérnia umbilical pode associar-se a episódios de desconforto ou dor que interferem com as atividades diárias. No caso de uma complicação, um encarceramento, as consequências podem ser mais graves. Quando uma hérnia esta encarcerada, significa que o seu conteúdo não consegue ser nova reinserido na cavidade abdominal. O encarceramento reduz o fluxo sanguíneo do segmento de intestino afetado e pode causar dor, náuseas, vómitos e paragem dos movimentos intestinais com obstipação. Nesse caso, a pele sobre a hérnia fica vermelha, com sinais inflamatórios marcados. A evolução para uma situação mais grave, o estrangulamento, é uma emergência cirúrgica porque o segmento do intestino pode entrar em fase de necrose, causando uma inflamação potencialmente fatal da cavidade abdominal, designada por peritonite.

Como é feito o tratamento?
O tratamento é cirúrgico, chama-se herniorrafia ou hernioplastia e permite tratar a hérnia e evitar complicações. Através da cirurgia é possível o encerramento da zona de fraqueza da parede muscular. Quando essa zona é extensa, utilizam-se materiais sintéticos que reforçam as estruturas enfraquecidas.

Que cuidados são necessários no período pós-operatório? 
A duração do pós-operatório depende muito da gravidade clínica do caso. Pode ser um procedimento de ambulatório, isto é, sem necessidade de internamento, como pode haver necessidade de alguns dias de estadia hospitalar, no caso das situações mais graves, complicadas (hérnia estrangulada).

Na recuperação pós-alta, é importante não forçar a musculatura da parede abdominal, durante 4 a 6 semanas, e evitar o aumento da pressão na cavidade abdominal.

Marcelo Rebelo de Sousa Hospital Curry Cabral Ana Silva Guerra Presidente da República saúde
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)