Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade

Medidas mais “duras” em País a quatro ritmos devido à Covid-19

Nova leva de restrições arranca já esta terça-feira, impedindo miniférias.
Wilson Ledo 23 de Novembro de 2020 às 01:30
Setor dos serviços será maior alvo
Cultura sofre com restrições
Setor dos serviços será maior alvo
Cultura sofre com restrições
Setor dos serviços será maior alvo
Cultura sofre com restrições
Portugal entra, à meia-noite desta terça-feira, no quinto período de estado de emergência. Desta vez, o País estará dividido em quatro níveis de risco mas unido na proibição de circular entre concelhos nos fins de semana que se esperavam prolongados. Com a maior parte do País fechada em casa, há pelo menos uma boa notícia para os restaurantes: vão poder funcionar em regime de takeaway no período do recolher obrigatório aos sábados, domingos e feriados.

“Tenho a consciência de que são muito exigentes, muito duras”, afirmou António Costa no sábado, ao anunciar as medidas. Para evitar novos contágios, a mais marcante será a circulação entre concelhos proibida de 27 de novembro a 2 de dezembro e de 4 a 8 de dezembro. Já nas vésperas de feriado, serviços públicos e escolas estarão fechados. Com esta decisão, o Governo não faz um convite às tradicionais miniférias mas antes ao recolhimento das famílias em casa.

Com as novas restrições, além dos limites à circulação, chegam novos horários para o comércio. Apesar de Costa ter insistido que “a restauração é um local de risco”, o setor tem pelo menos um motivo de alívio face ao atual estado de emergência: passará a ser possível o takeaway após as 13h00 nos concelhos com recolher obrigatório aos fins de semana e feriados.

Assim, nestes dias de descanso, cerca sete milhões de portugueses terão de manter-se em casa à tarde e à noite. Esta larga fatia da população vive nos 127 concelhos com risco de contágio muito elevado ou extremamente elevado, ou seja, com mais de 480 casos por 100 mil habitantes. Sair só mesmo para comprar comida em mercearias, pequenos supermercados ou à porta dos restaurantes. Há ainda uma exceção prevista dentro do próprio concelho para a área da cultura.

O mapa apresentado pelo Governo no sábado - e que pode ser consultado online, com as restrições por cada concelho - mostra que os municípios de maior risco estão localizados sobretudo no Norte, Centro e Área Metropolitana de Lisboa.

saiba mais
15
dias é a duração prevista para cada período de estado de emergência. Tanto o primeiro-ministro como o Presidente da República já admitiram mais renovações a este regime, o que incluirá o período do Natal.

Concelhos com maior risco
Apesar de distinguir entre risco muito elevado e risco extremo de contágio, o Governo decidiu aplicar as mesmas medidas aos dois níveis nesta quinzena.

Furar recolhimento para ver espetáculo
O decreto-lei publicado esta terça-feira prevê como exceção a saída de casa após as 13h00 nos fins de semana e feriados, dentro dos concelhos de maior risco, para “acesso a eventos e equipamentos culturais”.

Salas da cultura poderão vir a abrir
O CM contactou o Ministério da Cultura para apurar se, perante esta exceção, museus e salas de espetáculo estariam abertas no período de recolhimento, não obtendo qualquer resposta até ao fecho. 
Mais inspeções para ter trabalho em casa
O Governo reforçará a inspeção ao teletrabalho, que é obrigatório nos concelhos de maior risco. “Há muitas mais pessoas a deslocar-se do que aquelas que devia”, explicou Costa. O Ministério do Trabalho não respondeu ao CM sobre os contornos da operação.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários