Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
2

Milhares de pessoas nas ruas para festejar Ano Novo chinês

Comunidade chinesa encheu a capital de música e cor para receber o Ano Novo, que começa no próximo dia 25.
Ana Maria Ribeiro 19 de Janeiro de 2020 às 10:40
Cor, música e alegria encheram as ruas da capital, no desfile que começou no Martim Moniz e terminou na Alameda
Cor, música e alegria encheram as ruas da capital, no desfile que começou no Martim Moniz e terminou na Alameda FOTO: Vitor Chi

Começou no Martim Moniz e só parou na Alameda, em Lisboa, este sábado, o desfile que deu o pontapé de saída às celebrações do Ano Novo chinês na capital portuguesa. A festa - que mobilizou várias centenas de chineses, e outras tantas centenas de portugueses que se deixaram encantar pela cultura oriental - ocupa todo o fim de semana e acontece uma semana antes da chegada oficial do ano do rato, que se inicia no próximo dia 25 de janeiro.

"O Ano Novo chinês é como se fosse o Natal para os portugueses", elucida Jackie Chen, responsável de relações externas das celebrações. "O hábito é que a família se junte, mas uma vez que vivemos no estrangeiro, esta é a nossa forma de nos juntarmos e de partilharmos a nossa alegria com os portugueses, que tão bem nos acolheram", acrescenta.

Música, dança, exibição de artes marciais e gastronomia são algumas das propostas para um fim de semana cheio de cor e alegria - mesmo com a ameaça de chuva a pairar nos céus. "Estivemos a preparar a festa nos últimos três ou quatro meses e quisemos antecipar uma semana antes da Passagem do Ano porque há muitos chineses que escolhem este período para voltarem à China e estarem com os seus familiares", explica ao CM Guo Hongxu, da Associação dos Estudantes Chineses em Portugal.

As festividades, que são seguidas de perto por cerca de 40 agentes da autoridade - entre elementos da Polícia de Segurança Pública e da Brigada de Trânsito - só terminam ao fim da tarde deste domingo.

SAIBA MAIS
Um ano marcante
O ano do rato traz mudanças. Aquilo que iniciar neste ano terá repercussões durante os próximos doze. Aconselha-se a que não desperdice as oportunidades profissionais que surgirem.

25
de janeiro marca o início do ano do rato, que terminará a 11 de fevereiro de 2021. O ano será fértil em crises climáticas: esperam-se secas extremas e enchentes destruidoras.

Era da revolução
Este é um ano propício à agitação política internacional. Novas ideias e utopias podem surgir no horizonte, com potencial para mobilizar as pessoas e romper com as ordens estabelecidas.

Martim Moniz Alameda Lisboa Ano Novo questões sociais política demografia emigrantes diplomacia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)