Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
4

Nova greve no transporte marítimo nos Açores em fevereiro

Serviços mínimos diários já foram definidos.
Lusa 28 de Janeiro de 2022 às 12:08
Açores
Açores FOTO: Getty Images
A Atlânticoline, empresa responsável pelo transporte marítimo entre ilhas açorianas, informou esta sexta-feira para um novo pré-aviso de greve dos trabalhadores entre 1 e 28 de fevereiro, tendo já sido definidos serviços mínimos diários.

Num comunicado enviado às redações, a empresa pública adianta que o Tribunal Arbitral definiu como serviços mínimos diários" as viagens da "Linha Azul Horta/Madalena e Madalena/Horta" e as ligações da "Linha Verde Horta/Madalena, Madalena/Velas, Velas/Madalena e Madalena/Horta".

Isto, "na sequência da existência de um novo aviso prévio de greve dos trabalhadores, apresentado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante, Agências de Viagens, Transitários e Pesca (SIMAMEVIP),

"As viagens definidas como de serviços mínimos terão a sua realização garantida (naturalmente sujeitas às condições meteorológicas), sendo que todas as demais poderão ou não se realizar, consoante a adesão dos colaboradores à greve", esclarece a empresa.

Ficam ainda "assegurados todos os serviços necessários à realização das operações de transporte determinadas por situações de emergência, designadamente de urgência hospitalar, naufrágio, intempérie ou outras situações de força maior, entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge", sublinha a empresa.

No comunicado, a Atlânticoline recomenda que os passageiros "façam as suas reservas e viagens nos horários dos serviços mínimos".

Quanto aos passageiros com reservas adquiridas para viagens não abrangidas pelos serviços mínimos, a empresa explica que estes "serão contactados pelos serviços de apoio ao cliente para eventual alteração ou cancelamento dos bilhetes" e "sem quaisquer penalizações".

A empresa lembra que solicitou a intervenção do Conselho Económico e Social dos Açores, reiterando "o empenho na rápida resolução desta situação".

A Atlânticoline revelou na quarta-feira à agência Lusa que a greve dos trabalhadores ligados à parte operacional obrigou ao cancelamento de 36 viagens desde 01 de janeiro, "representando 26% do total de ligações marítimas previstas".

Também à agência Lusa, o dirigente sindical, Clarimundo Baptista, lamentou que a empresa continue a não admitir o pagamento de retroativos das negociações dos aumentos salariais a partir da data que produzem efeito, ou seja, abril de 2021".

A Atlânticoline solicitou ao Conselho Económico e Social dos Açores (CESA) uma "arbitragem obrigatória" devido ao "impasse" negocial com o Sindicato, mas o Sindicato garante que "não há intransigência" da sua parte e que "facilitou" as negociações e ainda "foi ao encontro dos anseios" da Atlânticoline.

A greve na Atlânticoline já decorre desde dezembro de 2021.

Ver comentários