Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

O testemunho de David Brás, docente universitário e instrutor, sobre o regresso ao desporto

Professor viu a vida dar uma volta de 180 graus com a propagação do novo coronavírus.
Vanessa Fidalgo 14 de Maio de 2020 às 08:42
David Brás
David Brás FOTO: Direitos Reservados
Docente na Faculdade de Motricidade Humana e na Escola Superior de Desporto de Rio Maior, bem como instrutor de várias modalidades no Jazzy Life Club, no Estádio da Luz, Lisboa, David Brás viu a vida dar uma volta de 180 graus com a propagação do novo coronavírus.

Foi rápido a reagir: "Iniciei esta experiência logo na fase em que foi decretado o fecho dos ginásios e das universidades. Apercebi-me que o ser humano se adapta às situações de uma forma incrível, sendo que é inevitável que a experiência online veio para ficar", conta. O que não quer dizer que trocasse o ginásio por nenhum outro cenário profissional: "Faz-me valorizar ainda mais a questão presencial e não me parece que a experiência online, fazendo parte do futuro, seja o futuro. Existem situações, profissões e emoções que funcionarão sempre melhor de forma presencial e parece-me que o mundo dos ginásios e das aulas com componente maioritariamente prática fazem parte desta lista", explica.

Quanto ao regresso físico ao ativo, David Brás sabe que será um processo delicado: "Apesar do desejo enorme que todos sentimos no que concerne ao regresso, este será composto por receios que são legítimos e, com as medidas a que estaremos todos sujeitos enquanto clientes e trabalhadores, vai ser feito de forma muito gradual. Quero acreditar que, a seu tempo, tudo voltará ao normal e creio que as pessoas irão dar ainda mais importância ao trabalho feito por parte dos profissionais que estão relacionados com a área do exercício físico."
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)