Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

OMS vai descontinuar uso de hidroxicloroquina em pacientes hospitalizados com coronavírus

Em causa está a falta de evidências da redução da mortalidade de pacientes infetados.
Lusa 4 de Julho de 2020 às 19:37
Hidroxicloroquina
Hidroxicloroquina FOTO: Reuters
A Organização Mundial da Saúde (OMS) vai descontinuar a utilização de hidroxicloroquina e de lopinavir/ritonavir no tratamento de pacientes hospitalizados com covid-19, pela falta de evidências da redução da mortalidade de pacientes infetados, foi este sábado anunciado.

De acordo com um comunicado divulgado, a OMS "aceitou hoje a recomendação do Estudo de Solidariedade do Comité de Direção Internacional para descontinuar" os testes de hidroxicloroquina e de lopinavir/ritonavir.

"Os resultados interinos dos testes demonstram que a hidroxicloroquina e a lopinavir/ritonavir diminuem pouco ou nada a mortalidade de pacientes com covid-19 hospitalizados, comparando com os tratamentos convencionais", explicita a nota publicada na página na internet da OMS, acrescentando que os investigadores vão interromper os tratamentos com estes medicamentos "com efeito imediato".

A Organização Mundial da Saúde também dá conta de que, para cada um dos medicamentos, "os resultados interinos não apresentam evidências sólidas de um aumento da mortalidade" destes pacientes.

A OMS acrescenta que esta descontinuação da utilização dos dois fármacos apenas se aplica "à conduta do estudo de Solidariedade em pacientes hospitalizados e não afeta a avaliação possível em outros estudos de hidroxicloroquina ou lopinavir/ritonavir" em pessoas infetadas pelo SARS-CoV-2, mas que não estão internadas.

A eficácia destes medicamentos foi comparada com os tratamentos convencionais para a doença provocada pelo novo coronavírus, sublinhou o comunicado.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 526 mil mortos e infetou mais de 11 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.598 pessoas das 43.156 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde, hoje divulgado.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
OMS Organização Mundial da Saúde China saúde doenças tratamentos questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)