Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
6

Palavras de Paulo VI ouvidas em Fátima

Primeiro papa a visitar Fátima é hoje beatificado. Santuário recorda a sua presença em 1967.
Edgar Nascimento 19 de Outubro de 2014 às 10:12
Paulo VI visitou Portugal em 1967, sendo recebido por Salazar
Paulo VI visitou Portugal em 1967, sendo recebido por Salazar FOTO: D.R.

A cura inexplicável de um feto que sofria de graves problemas e que acabou por nascer saudável graças à intercessão de Paulo VI está na origem da beatificação, hoje, no Vaticano, do primeiro papa que visitou a Cova da Iria. No Santuário de Fátima, a missa das 11 horas vai recordar as palavras do papa, um devoto de Maria.

Giovanni Battista Enrico Antonio Maria Montini nasceu em Concesio, na Lombardia (Itália), em 1897. Paulo VI, papa entre 1963 e 1978 (quando morreu), foi o primeiro líder da Igreja Católica a viajar pelos cinco continentes e o primeiro a dialogar com o líder da Igreja Anglicana e com os dirigentes das igrejas Ortodoxas do Oriente.

Esteve em Fátima a 13 de maio de 1967, no 50º aniversário das Aparições. Foi ele quem ofereceu ao Santuário de Fátima a sua primeira rosa de ouro. Para homenagear a ligação de Paulo VI a Fátima, a eucaristia de hoje, presidida pelo reitor, padre Carlos Cabecinhas, vai ter, antes da bênção final, um momento especial: os fiéis vão voltar a ouvir a voz de Paulo VI, com a reprodução de um breve trecho das suas palavras aquando da visita em 1967. A estátua de Paulo VI – o papa de joelhos, evocando a sua peregrinação a Fátima – vai ter uma ornamentação especial.

Em 2001, ocorreu o milagre que permite a beatificação de Paulo VI: uma mulher, dos EUA, estava grávida, mas o feto tinha graves problemas. Os médicos sugeriram o aborto, pois a criança teria consequências cerebrais e físicas irreversíveis. A mulher não aceitou e confiou a criança à intercessão de Paulo VI. A criança nasceu sem problemas e, já adolescente, continua saudável.

Paulo VI nomeou para o Colégio Cardinalício os seus três sucessores: Karol Wojtyla (João Paulo II), em 1967; Albino Luciani (João Paulo I), em 1973, e Joseph Ratzinger (Bento XVI) em 1977. O papa emérito vai estar hoje ao lado de Francisco, na cerimónia de beatificação, que culmina o Sínodo dos Bispos.

O Sínodo aprovou ontem um relatório final, tendo os bispos chumbado o acesso aos sacramentos por divorciados que voltaram a casar-se e o acolhimento dos homossexuais. 

Ver comentários