Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Peritos prevêem 129 mil infetados e 700 mortes por coronavírus em Portugal

Especialistas em Saúde Pública consideram que o impacto da Covid-19 no País será muito inferior ao registado em Itália e em Espanha.
António Sérgio Azenha, José Durão, Luís Oliveira, Rui Pando Gomes, Ana Palma e Liliana Rodrigues 26 de Março de 2020 às 01:30
Maior número de óbitos deverá ocorrer entre os idosos com mais de 70 anos
Maior número de óbitos deverá ocorrer entre os idosos com mais de 70 anos FOTO: Mariline Alves

O novo coronavírus poderá infetar mais de 129 mil portugueses e causar a morte de cerca de 700 pessoas. A previsão consta de um estudo de peritos em saúde pública, sobre o impacto deste vírus em Portugal, e a que o CM teve acesso. Dos mais de 129 mil infetados, 75 mil não manifestarão sintomas. Cerca de 54 mil terão sinais. A confirmar-se esta previsão, a Covid-19 terá em Portugal um impacto muito inferior ao registado tanto em Itália como em Espanha.

Os dados indicam também que cerca de 17 700 pessoas infetadas com o novo coronavírus terão de ser hospitalizadas. Quanto ao número de portugueses recuperados, em isolamento ou imunizados, o estudo prevê que, no final desta primeira vaga da Covid-19, sejam mais de 157 mil pessoas nessa situação. O maior número de óbitos deverá ocorrer entre os idosos com mais de 70 anos - o principal grupo de risco. Para um especialista com quem o CM falou, "a doença está a entrar numa fase de crescimento exponencial e o pico da mortalidade vai acontecer mais à frente".

Daí que, para este médico, "é preciso ganhar tempo", através de medidas de prevenção do contágio. Para um outro especialista, "é fundamental realizar muitos testes para que se saiba onde está o problema e isolar essa zona, como está a ser feito em Ovar". Questionado sobre o impacto da Covid-19, o Ministério da Saúde esclarece que "os modelos de simulação preveem o aplanar da curva de casos e, com isso, o eventual retardar da data do pico". Admite, no entanto, que "são precisos mais dias para considerar estes resultados mais robustos".

Quanto à previsão do número de mortes, adianta que dependerá "da capacidade de proteger as pessoas em maior risco".

PORMENORES
Imunidade de grupo
O contágio do novo coronavírus poderá ser impedido por duas vias: através de uma vacina ou através da imunidade natural de grupo. A vacina poderá estar disponível dentro de um ano.

Alerta para segunda vaga
Os especialistas receiam a eventual segunda vaga da Covid-19 que poderá acontecer no final do ano. Anseiam que possa ser mais difícil devido ao desrespeito pela prevenção.

Padre de Fátima com Covid-19 isolado no seminário
É nas instalações do Seminário dos Missionários Monfortinos, em Fátima, que o padre António Pereira está em isolamento, desde que acusou positivo no teste para despiste do novo coronavírus.

O superior provincial do Seminário, Amílcar Tavares, confirmou o caso e afirmou, ao CM, que o padre António Pereira estava "bem disposto" e a ser "bem tratado", apresentando melhorias nas últimas horas. O pároco, de 76 anos, é sacerdote há 51, período no qual se tornou numa figura reconhecida na zona. Está ligado ao desporto há muitos anos, durante os quais presidiu o Centro Desportivo de Fátima e, não obstante a idade, tem a seu cargo as paróquias da Abrã, Amiais de Baixo, Bugalhos, Moitas Venda, Monsanto, Vila Moreira e Alcanena.

Centro de rastreio de Viseu com pouca afluência
O primeiro centro de rastreio para despistagem do novo coronavírus do interior do País abriu esta quarta-feira em Viseu, mas no primeiro dia teve pouca afluência.

Instalado no pavilhão multiusos, o centro de rastreio conta com 10 profissionais. O utente é sujeito ao exame sem necessidade de sair da sua viatura. A recolha demora cinco minutos e o resultado do exame só se sabe 24 horas depois porque as amostras são enviadas para o Laboratório de Biologia Molecular, no Porto. "É preciso que as autoridades públicas de Saúde aproveitem, agora, este reforço da capacidade instalada em Viseu, se possível já a partir de hoje", disse Almeida Henriques, autarca local. No entanto, esta quarta-feira registou-se pouca afluência de utentes, sinal que há poucas pessoas a fazer o teste.

Aldeia em Melgaço fechada após três casos positivos
A freguesia de Parada do Monte, em Melgaço, está desde esta quarta-feira com uma cerca sanitária, após terem sido detetados três casos positivos de Covid-19. A aldeia tem 370 habitantes e a autarquia decidiu, por isso, que o melhor seria o isolamento.

"A população está em choque, os moradores ficaram muito assustados. Vamos continuar junto do povo e a levar a casa tudo o que precisam", disse Ricardo Alves, presidente da junta.

O primeiro caso foi o de um homem, de 87 anos. Deu boleia a um casal de vizinhos, também idosos, que ficaram infetados. "Não temos elementos da GNR suficientes para colocar aqui e por isso as pessoas têm que respeitar", disse Manoel Batista, presidente da autarquia. Esta quarta-feira, algumas pessoas desrespeitaram a ordem.

Enfermeira e militar da GNR infetados no Algarve
Uma enfermeira do Serviço de Urgência Básica (SUB) de Albufeira está infetada com Covid-19 depois de ter estado em contacto com o idoso, de 77 anos, que morreu na sequência da doença. José Fernandes, de 77 anos, esteve no SUB e no hospital de Portimão devido a diversas patologias antes de ser internado no hospital de Faro. O CM sabe que contactou com seis enfermeiros do SUB. Só dois fizeram teste de despiste. Um deu positivo e outro negativo.

Em Faro, foi confirmado um caso positivo no Posto Territorial da GNR. Segundo o CM apurou, o militar terá sido infetado durante uma fiscalização rodoviária. O posto foi encerrado para desinfeção e está a ser feito o levantamento dos colegas com quem o militar contactou. No Algarve, estão confirmados 62 infetados.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)