Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
7

Pilotos aprovam acordo de emergência na TAP que prevê cortes salariais

Acordo entre o SPAC e a TAP prevê reduções salariais de entre 50% e 35%, entre 2021 e 2024.
Lusa 26 de Fevereiro de 2021 às 20:35
Avião da TAP
Avião da TAP FOTO: Direitos Reservados
O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) aprovou hoje o acordo de emergência na TAP, adiantaram vários pilotos à Lusa.

A Lusa contactou o SPAC e está à espera de resposta oficial.

Tal como a Lusa noticiou em 06 de fevereiro, o acordo entre o SPAC e a TAP prevê reduções salariais de entre 50% e 35%, entre 2021 e 2024, que já incluem o corte transversal de 25% aplicado a todos os trabalhadores.

Segundo o acordo de emergência enviado aos associados, este abrange 1.252 pilotos e prevê a redução salarial de 50% (2021), de 45% (2022), de 40% (2023) e de 35% (2024), correspondendo "a uma redução transversal a todos os trabalhadores da TAP no montante de 25%, e um adicional de 25% em 2021, [de] 20% em 2022, [de] 15% em 2023 e [de] 10% em 2024, que visa a manutenção de postos de trabalho" e com efeitos retroativos em 01 de janeiro deste ano.

TAP Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil SPAC economia negócios e finanças trabalho sindicatos
Ver comentários