Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Portugal já tem a cruz da Jornada Mundial da Juventude

Papa entrega símbolos da Jornada Mundial da Juventude 2023.
Ana Maria Ribeiro 23 de Novembro de 2020 às 08:10
Papa Francisco celebrou a missa de entrega dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)
Delegação lusa recebeu cruz e ícone de N. Sra ‘Salus Populi Romani’
Papa Francisco celebrou a missa de entrega dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)
Delegação lusa recebeu cruz e ícone de N. Sra ‘Salus Populi Romani’
Papa Francisco celebrou a missa de entrega dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ)
Delegação lusa recebeu cruz e ícone de N. Sra ‘Salus Populi Romani’
O Papa Francisco entregou ontem a uma delegação portuguesa, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, a Cruz da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), aproveitando a ocasião para anunciar a novidade: a partir de agora, a celebração diocesana da JMJ transita do Domingo de Ramos (antes da Páscoa) para o Domingo de Cristo Rei, que se celebra no último domingo do ano litúrgico (entre 20 e 26 de novembro).

"Passados 35 anos da instituição da JMJ, depois de ter ouvido o parecer de várias pessoas e o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, decidi transferir, a partir do próximo ano, a celebração diocesana da JMJ do Domingo de Ramos para o Domingo de Cristo Rei", disse o Papa Francisco, acrescentando que, no centro da celebração – cuja próxima edição internacional decorre em Lisboa, em 2023 – "continua a estar o Mistério de Jesus Cristo Redentor do homem, como sempre destacou São João Paulo II, iniciador e patrono da JMJ".

Os símbolos da JMJ – a Cruz Peregrina, com 3,8 metros de altura, e a réplica do ícone de Nossa Senhora ‘Salus Populi Romani’, que retrata a Virgem Maria com o Menino nos braços - deviam ter sido entregues em abril, mas a cerimónia foi adiada por causa da pandemia.

Impossibilitado de estar presente, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou uma mensagem pessoal ao Papa através da delegação portuguesa, que integrava o ministro da Educação. Tiago Brandão Rodrigues salientou o caráter ecuménico da JMJ. "Portugal estará, também aqui, a marcar a ponte entre a Europa, África e a América Latina", considerou o governante.
Ver comentários